Posts em janeiro de 2016
28 de janeiro de 2016
O malcriado nada mais é que a pessoa sem educação, sendo assim o mal-educado. Mas, afinal, o que hoje representa uma boa educação? Segundo o...
27 de janeiro de 2016
“Se como sou não é mostrado, é por que isso só pode ser ruim, né, tia?” Certa vez ouvi isso de uma criança, uma criança de 9 ou 10 anos, negra em...
26 de janeiro de 2016
Nos cantos motivacionais da internet, uma das frases que vejo aparecer sempre é "find what you love and let it kill you", livremente traduzida para "encontre...
24 de janeiro de 2016
Eu pensei muito antes de escrever esta pauta porque, como sempre, ao se falar de deficiência, abre-se um leque gigante, e eu só tenho propriedade para falar...
22 de janeiro de 2016
A legislação brasileira é composta não somente de leis – apesar de o nome remeter a essa ideia -, mas principalmente destas. Nos baseamos no princípio...
21 de janeiro de 2016
Para “aprender” a desenhar você só precisa querer e praticar. Assim como jogar futebol, andar de bicicleta e cozinhar cookies, desenhar é mais uma...
21 de janeiro de 2016
Quem aqui não é apaixonada por um peludinho que atire a primeira pedra! Gatos e cães fazem parte de nossas famílias há milhares de anos e é possível que...
20 de janeiro de 2016
...
20 de janeiro de 2016
Há quem diga que não conhecemos muitas coisas feitas por mulheres porque as mulheres realmente não fizeram nada tão importante. E há quem diga (eu mesma,...
18 de janeiro de 2016
“Onde está todo mundo?” (ou “Onde eles estão?”). Foi o que Enrico Fermi, um físico italiano ganhador do Prêmio Nobel, supostamente perguntou em uma...
17 de janeiro de 2016
Em distantes tempos idos, uma entidade que à Terra nos abençoar com sabedoria, paz e grandes hits. Uma entidade composta por três seres iluminados cada um...
17 de janeiro de 2016
Às vezes conhecemos crianças que, seja por insistir em se referir a si mesma por pronomes do gênero oposto, seja por gostar de usar roupas do gênero...
Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.