26 de agosto de 2017 | Se Liga | Texto: | Ilustração:
4 curtas-metragens incríveis para assistir em SP
still_020

Talvez você não saiba, mas curta-metragem é o nome dado a filmes de até 25 minutos – muitas vezes, os íntimos chamam estes pequenos filminhos de ‘curtas’, apenas. Infelizmente, aqui no Brasil, eles têm pouca circulação comercial, ficando limitados a festivais de cinema e à internet, como já falamos nessa listinha de curtas disponíveis na rede.

 

Para quem gosta do escurinho do cinema e está em terras paulistas, acontece até dia 3 de setembro o 28º Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo. E, como a Capitolina é sua amiga, separamos para você alguns dos destaques da programação.

 

Vem com a gente e anota as dicas!

 

“Pele Suja Minha Carne”

 

pele suja minha carne

 

“Pele Suja Minha Carne” conta a história de João – um adolescente negro em meio a descobertas sobre sexualidade – e sua relação com seu melhor amigo branco, Cauã. O filme foi realizado em 2016 por uma equipe de estudantes da Universidade Federal Fluminense através do Edital Elipse, da Secretaria de Cultural do Estado do Rio de Janeiro.

 

Pele Suja Minha Carne | Teaser from Filmes de Barro on Vimeo.

 

 

“Quando escrevi o ‘Pele Suja Minha Carne’, eu estava começando a me entender como negro. Era algo que me tinha sido negado a vida toda, pois,  por eu ter a pele um pouco mais clara, as pessoas me diziam ‘você não é negro, você é pardo’. Então, o filme é um reflexo do modo como eu me sentia ao ocupar espaços de maioria branca.”, conta o jovem diretor e roteirista Bruno Ribeiro.

 

O curta-metragem será exibido na Mostra Brasil do Festival Internacional de Curtas de São Paulo, no sábado (26/08), às 21h30, no CineSESC; na terça-feira (29/08), às 15h, no Centro Cultural São Paulo; e na quinta-feira (31/08), às 19h, no Museu da Imagem e do Som.

 

Além disso, o filme foi selecionado e será exibido em breve no Festival Universitário de Cinema de Brasília; no Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte – FEST CURTAS BH; e no Encontro de Cinema Negro – Zózimo Bulbul, no Rio de Janeiro. Você pode ficar por dentro das próximas exibições de “Pele Suja Minha Carne” na  página do facebook.

 

Curta: “Pele Suja Minha Carne”

Exibições:

26/08, às 21h30 – CineSESC

29/08, às 15h – Centro Cultural São Paulo

31/08, às 19h – Museu da Imagem e do Som

 

“Demônia – Um melodrama em 3 atos”

Demonia Still 1 Fernanda Chicolet Fotógrafo André Luiz de Luiz

 

Em “Demônia – Um melodrama em 3 atos”, acompanhamos Mirian e seu primo Rildo em desavenças e brigas que são registradas em vídeo e transformadas em virais para a internet.

 

O filme é protagonizado e roteirizado por Fernanda Chicolet. Ela também assina a direção junto ao seu parceiro criativo de longa data Cainan Baladez. Já conhecidos no circuito de festivais de cinema pela realização de Animador, a dupla retorna às telonas com o melodrama.“O ‘Demônia’ é o nosso quarto curta e nasceu da vontade de falar sobre a exploração midiática através da história de uma mulher que expõe a sua dor sem pudor. E partiu de um desses casos virais brasileiros que a Fernanda se encantou desde que viu pela primeira vez.”, conta o co-diretor Cainan Baladez.

 

DEMÔNIA – MELODRAMA EM 3 ATOS [TRAILER] from Arte In Vitro Filmes on Vimeo.

 

 

Questionado a respeito da concentração das funções de roteirista, co-diretora e atriz protagonista numa única pessoa, Cainan explica que essa simbiose de funções empodera Fernanda enquanto artista: “Ela não fica refém dos ‘perfis’ que tentam catalogar atrizes a desempenhar apenas personagens determinados pela sua aparência ou outros atributos. Lógico que ela não deixa de trabalhar em filmes de outros realizadores exclusivamente atuando, mas, como criadora, ganha uma autonomia de realizar também de acordo com as suas questões mais urgentes e que mais a inquietam. Tem sido assim em todos os nossos trabalhos, e em outros projetos que ela vem desenvolvendo.”

 

No Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, “Demônia – Um melodrama em 3 atos” integra tanto a Mostra Brasil quanto o programa Humor em Tempos de Cólera. Você pode assistir ao curta na terça (29/08), às 17h e às 21h30, no Centro Cultural São Paulo; na sexta-feira (01/09), às 15h30, no CineSESC; no domingo (03/09), às 15h, no Museu da Imagem e do Som; e na quinta, às 21h, também no Museu da Imagem e do Som.

 

Vale ressaltar que o projeto tem circulado bastante pelo Brasil e mundo. Para saber mais sobre futuras exibições do curta-metragem, você pode acompanhar a página da produtora Arte in Vitro.

 

Curta: “Demônia – Um melodrama em 3 atos”

Exibições:

29/08, às 17h e às 21h30 – Centro Cultural São Paulo

01/09, às 15h30 – CineSESC

03/09, às 15h – Museu da Imagem e do Som

07/09, às 21h – Museu da Imagem e do Som

 

“Próxima” 

 

still_010

Dirigido por Luiza Campos, o filme acompanha Carol, uma  menina de doze anos, lidando com seu cabelo enrolado. “Sempre tive vontade de fazer algo que conversasse com minhas filhas”, afirma Luiza, que, além de produzir conteúdo cinematográfico, é também publicitária.

 

O curta-metragem é um diálogo entre algumas sensações ligadas a auto-aceitação dos cabelos cacheados das duas filhas de Luiza e memórias dela mesma quando ainda criança e adolescente. “Eu tenho cabelo cacheado desde sempre, nunca alisei, mas passei por esse processo de sentir a pressão estética pelo alisamento. Recentemente, quando eu percebi esse mesmo sentimento brotando nas minhas filhas também e nas amigas delas, entendi que cabelo era um assunto sobre o qual eu queria falar.”

 

No Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, “Próxima” faz sua estreia e integra o Panorama Paulista. Você pode assistir ao filme na terça-feira (29/08), às 21h, no Museu da Imagem e do Som; e na quarta-feira (30/08), às 17h, no Espaço Itaú de Cinema.

 

Para ficar por dentro das próximas exibições do curta em outras cidades, basta acompanhar a página da produtora Vetor Filmes no Facebook.

 

Curta: “Próxima”

Exibições:

29/08, às 21h – Museu da Imagem e do Som

30/08, às 17h – Espaço Itaú de Cinema

 

“Òrum Àiyé: A Criação do Mundo”

1 Jamile Coelho - Foto Diane Luz

 

 

Em “Òrum Àiyé: A Criação do Mundo”, vovô Bira conta à sua neta, Luna, a saga de Oxalá para criar a Terra e os seres humanos. O filme começou a ser realizado dentro da Universidade Federal da Bahia, enquanto a diretora Jamile Coelho e o roteirista e escultor londrinense Thyago Bezerra cursavam a graduação em Cinema. Atualmente, Jamile e sua sócia e co-diretora, Cíntia Maria, estão ampliando o projeto e transformando-o numa série para televisão. Desta forma, “A Criação do Mundo” funcionaria como o episódio #1.

 

 

 

Vovô Bira, o protagonista do curta-metragem, é inspirado no recém-falecido professor e griô, Ubiratan Castro, falecido em 2013 – indivíduo responsável pela difusão das tradições orais das religiões de matriz africana – Ubiratan Castro de Araújo. Sendo assim, o filme funciona como uma homenagem póstuma ao professor, além de cumprir um papel social importante: promover equidade racial e religiosa de maneira descontraída e divertida.

 

“Dizem que quando um griô morre, fecha-se uma biblioteca”, afirma Jamile Coelho: “Assim que o curta foi finalizado, eu e Cíntia o apresentamos para a família de Ubiratan. Nesse dia, a viúva dele, dona Goinha, nos chamou num canto e falou ‘agora posso dizer para meus netos que Bira não morreu, virou animação’”.

 

Finalizado em 2015, o filme tem encantado públicos de todas as idades e gostos. No Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, a animação integra o Programa Especial Mulheres Negras, junto aos curtas de cineastas como Yasmin Thayná, Juliana Vicente e Larissa Fulana de Tal. Você pode assistir a “Òrun Àiyé: A Criação do Mundo” no domingo (27/08), às 15h, no Museu da Imagem e do Som; na terça-feira (29/08), às 16h, no CINUSP; e na sexta-feira (01/09), às 15h, no Centro Cultural São Paulo.

 

Além disso, assim como o “Pele Suja Minha Carne”, o filme foi selecionado para o Encontro de Cinema Negro – Zózimo Bulbul e deve ser exibido no Rio de Janeiro em breve. Para saber mais sobre a circulação de Òrun Àiyé, acompanhe a página do facebook.

 

Curta: “Òrun Àiyé: A Criação do Mundo”

Exibições:

27/08, às 15h – Museu da Imagem e do Som

29/08, às 16h – CINUSP

01/09, às 15h – Centro Cultural São Paulo

 

Prêmio Aquisição Porta Curtas e Canal Curta

 

Para quem não mora em São Paulo ou prefere ficar no aconchego do sofá de casa, os filmes da Mostra Brasil e do Panorama Paulista estão disponíveis no canal virtual Porta Curtas. É uma grande chance de assistir a filmes brasileiros e de qualidade, além de poder eleger os vencedores do Prêmio Aquisição Porta Curtas e Canal Curta, no valor de 5 mil reais. Mas fiquem ligados! O conteúdo só poderá ser assistidos até o dia 3 de setembro, quando o festival se encerra.

 

E aí, animada para ver muitos filminhos essa semana? Para conferir a programação completa do 28º Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, acesse o site. E não deixe de contar para a gente sobre o que achou do evento! 😉

Ayodele Gathoni
  • Colaboradora de Artes

Ayodele Gathoni tem uns 20 e poucos anos e mora no Rio de Janeiro. Gosta de ver desenho animado, rodar bambolê e confeccionar licores artesanais.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos