19 de novembro de 2015 | Ano 2, Edição #20 | Texto: | Ilustração: Isabela Zakimi-Innocentini
6 razões para você parar de enrolar e aprender um instrumento logo

Eu enrolei muito pra começar a fazer aula de canto (nosso corpo é um instrumento também, sabia?). Sério, você não imagina o quanto. Eu sempre quis aprender a cantar e mesmo assim ficava inventando desculpas pra não começar. Na verdade, eu tinha medo de não ser boa o bastante para aquilo, de perceber que realmente não tinha talento para a coisa.

Aconteceu que meu namorado na época estava sentindo a mesma coisa, ele queria fazer aula de violão. Então nós dois nos empurramos e acabamos indo fazer aula no mesmo lugar. E adivinha! Foi a melhor coisa que eu podia ter feito. Então, se você está pensando se deve ou não começar a aprender um instrumento, seja por conta própria, seja fazendo aula, aí vão minhas razões pelas quais você deve parar de enrolar que nem eu e ir atrás disso!

1) Talento não existe: ok, essa frase tem entre pouco e nenhum fundamento científico e eu não sei se acredito mesmo que não existam inclinações genéticas que nos façam ter mais facilidade para realizar certas coisas e mais dificuldade para realizar outras. Mas o importante é que é sim possível treinar e se esforçar para aprender algo, mesmo que você não tenha esse tal dom divino para aquilo. Nem todos nascemos com a sorte de ter um ouvido absoluto ou um timbre de voz super único e lindo, é verdade, mas quem disse que com a prática não podemos tornar bem mais fácil diferenciar as notas musicais ou conhecer melhor nossa voz e, assim, cantar melhor?

2) Você não precisa ser a melhor, nem mesmo ser “boa”, para tocar ou cantar: miga, isso vem do fundo do meu coração, e é quase como um conselho para mim mesma. Em primeiro lugar, o que é ser boa? Boa pra quem? A gente tende a achar que só tem direito a fazer certas coisas se conseguirmos provar para os outros que somos boas naquilo, mas, na verdade, isso pouco importa! Não importa se você tem ou não talento, se você já conhece sua voz ou sabe tocar uma música lindamente, até porque o que é bom para uns não vai ser para outros. Claro que é maravilhoso – e natural – ver concretizado todo o seu esforço e tempo de treino concretizado em conseguir cantar e tocar sua música favorita, mas você não precisa esperar até ser uma profissional em música para tocar. E lembre-se sempre de que o primeiro passo para ser boa em algo é ser ruim naquilo (sabedoria da Laura e da Clara direcionada a um momento em que eu estava em crise por querer desenhar mas não fazê-lo porque ~~~sou ruim~~~).

giphy

3) É muito terapêutico!: se você curte música, pode crer que vai ser muito relaxante passar minutos (ou horas, se você tiver disponibilidade) focando somente nisso, somente em música e nada mais. E isso se torna melhor ainda se você deixa seus julgamentos de lado e perde a vergonha de si mesma. Eu percebi que quando canto tenho mais vergonha de mim mesma do que dos outros (o que é uma coisa bem louca, na real), mas quando – ainda que só por alguns instantes – você consegue se desprender disso, vai ver como é uma sensação incrível poder se dedicar àquilo somente.

4) Faz bem pra cabeça: é verdade, porque, além de relaxar, você vai começar a aprender teoria musical, a decorar acordes e/ou letras de músicas e isso vai manter seu cérebro funcionando, além do seu corpo.

5) Vai mudar sua relação com o que você escuta: é muito bom ouvir uma música e saber que você consegue cantar ou tocar aquela nota. É muito legal quando você sabe as pausas que a cantora deu para respirar ou o porquê de a baterista ter decidido fazer uma virada antes do primeiro refrão mas não do segundo. Você vai começar a ouvir músicas pensando em como seria se você apresentasse aquilo, se aquilo ia encaixar na sua voz ou se você tem interesse em aprender aquele dedilhado.

giphy (1)

6) Você vai poder se conectar com mais pessoas: seja procurando outras minas para formar uma banda, seja só tocando e/ou cantando junto com uns amigos na casa de alguém, você vai ter momentos incríveis advindos do fato de, agora, você tocar um instrumento ou cantar (antes que você diga algo, leia o motivo número 2!). Música é uma atividade que pode ser exercida tanto individualmente quanto em conjunto. E quando for a hora do “em conjunto”, é uma experiência diferente e gostosa trocar ideias com os amigos de qual nota encaixaria nessa parte, qual batida fica melhor naquela.

Enfim, música é uma coisa maravilhosa, que te dá dimensão de outras vivências e culturas, e é maravilhoso, para mim, ter expandido minha relação com ela. Toda vez que alguém me diz que tem vontade de começar a aprender um instrumento eu dou o maior apoio, pois sei o quanto isso foi importante para mim, o quanto me fez e faz bem e o quanto eu me divirto. Tá esperando o quê? Tem um milhão de vídeoaulas no YouTube pra todos os gostos! Tenho certeza que você não vai se arrepender 😉

Tags: , , ,
Beatriz Trevisan
  • Cofundadora
  • Colaboradora de Relacionamentos & Sexo
  • Colaboradora de Música

Bia, 23 anos (mas todo mundo acha que ela tem 13), feminista interseccional e estudante do último ano de direito. Talvez queira seguir na área, mas seu sonho de verdade é ser cantora e escritora. Se bem que, se fosse possível, largava tudo isso e se tornava Mestre Pokémon pra ontem.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos