25 de maio de 2017 | Se Liga | Texto: | Ilustração: Ana Maria Sena
A História da Humanidade Segundo a Ficção

Muitas autoras e autores por toda a ficção imaginaram como seria o futuro. As relações interpessoais e o nosso modo de viver seriam altamente afetados pelas tecnologias e mesmo que alguns deles tenham acertados em alguns pontos, é bem curioso quando chegamos em datas marcadas pela ficção e vemos como é o presente e o que os autores imaginavam. Um dos critérios de seleção era que os filmes ou desenhos animados se passem em determinado ano, não apenas num futuro.

 

Ano: 1984

1984

Livro de George Orwell (1949) e adaptado para o cinema por Michael Redford (1984)

Orwell imaginou uma sociedade onde toda população é vigiada e controlada pelo Grande Irmão. Quanto mais ignorante a população, mais fácil também é de serem controlada e de não questionar o status quo. O que faz 1984 tão fascinante ainda hoje é a similaridade que ele tem com alguns aspectos do presente. O Grande Irmão pode ser entendido como empresas como o Google, o Facebook, ou então as dezenas de câmeras espalhadas pelas cidades que servem para a nossa segurança, mas também sabem de todos os nossos passos. 1984 também é uma história de amor, já que as relações interpessoais não são uma coisa de interesse dos governantes. Nada pode nos distrair dos nossos afazeres.

 

 

Ano: 1990

1990: Os Guerreiros do Bronx

Dirigido por Enzo G. Castellari (1982)

Nessa ficção italiana ambientada em Nova Iorque o bairro do Bronx se tornou uma terra sem lei, deixada de lado tanto pela polícia local quanto pelo governo, controlada por duas grandes gangues. Diferente dos outros filmes da lista, Os Guerreiros do Bronx não é uma ficção científica e talvez nem possa ser considerado um filme distópico, mas imagivana o futuro (nem tão distante) num lugar bem especifico.

 

 

Ano: 2015

De Volta para o Futuro 2

Dirigido por Robert Zemeckis (1989)

Ao contrário do primeiro filme de 1985, em De volta para o futuro 2, Marty McFly vai parar de verdade no futuro, no ano de 2015. Carros voadores, os tênis que se amarram sozinhos e os skates voadores ainda não deram completamente certo e podemos ter certeza de que tem gente tentando fazer eles funcionarem. Em uma determinada cena Marty usa um tipo de óculos inteligente, o que lembra do Google Glass lançado pelo Google, mas que não se popularizou muito. Também aparecem em cena drones e algumas máquinhas de fax, mas galera mais nova nem deve saber o que é esse segundo item.

 

 

Ano: 2019 (na versão para o cinema / 1992 para o livro)

Blade Runner / Andróides Sonham com Ovelhas Elétricas?

Livro de Philip K. Dick (1968) e adaptado para o cinema por Ridley Scott (1982)

Deckard caça androides que decidem viver entre os humanos. O que Philip K. Dick imaginou e Ridley Scott colocou na tela é um mundo pós apocaliptico onde parte da população vive em colônias fora da terra. Em 2019, as pessoas que não tinham dinheiro para comprar animais de estimação, então tinham animais elétricos, que se bem mantidos podiam se passar por reais e davam status aos seus donos. Para identificar os andróides entre os humanos, Deckard tem que aplicar um teste de empatia e é isso que nos diferencias do andróides altamente complexos e bem feitos: a capacidade de se colocar no lugar dos outros.

 

 

Ano: 2062

Os Jetsons

Desenho animado produzido pela Hanna-Barbera

George e Jane são um casal que vive com seus dois filhos, Judy e Elroy, em Orbit City no ano de 2062. Os personagens desse desenho animado vivem em locais suspensos do chão, tem uma carga horária de trabalho bem pequena e só trabalham poucos dias por semana. Praticamente não existe trabalho manual ou pesado e as famílias contam com a ajuda de empregadas robôs para fazer o trabalho doméstico, no caso dos Jetsons, a Rose.

Aqui na revista, já falavamos várias vezes sobre universos distópicos e o futuro. Existem outros filmes, livros e produtos que se passam no futuro. Alguns chegaram bem perto do nosso presente, alguns podem ainda chegar e outros talvez fiquem apenas na ficção.

Natasha Ferla
  • Coordenadora de Cinema & TV
  • Colaboradora de Estilo
  • Audiovisual

Natasha Ferla tem 25 anos e se formou em cinema e trabalha principalmente com produção. Gosta de cachorro, comprar livros e de roupas cinza. Gosta também de escrever, de falar sobre o que escreve porque escreve melhor assim. Apesar de amar a Scully de Arquivo X sabe que no fundo é o Mulder.

  • http://www.revistacapitolina.com.br/ Revista Capitolina

    Oi Juliana! A gente não incluiu esse livro porque é mais conhecido do que outros que mencionamos. Um abraço!

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos