8 de janeiro de 2018 | Ano 4, Edição #41 | Texto: | Ilustração: Juliana Adlyn
Ajudando a natureza todo dia: como diminuir o lixo que você produz
mundin

A gente ouve falar do aquecimento global, da poluição, do esgotamento de recursos naturais, da perda da biodiversidade, etc. e começa descer um suor frio pelas costas. O desespero fica maior ainda quando a gente pensa na falta de compromissos efetivos adotados pelos países desenvolvidos para solucionar esses problemas. Mas nem tudo está nas mãos de políticos e empresários. Se cada um de nós fizer a sua parte, é possível fazer a diferença. Aqui nós trazemos algumas dicas para reduzir a sua produção individual de lixo no dia-a-dia. São medidas simples, mas que têm um impacto significativo. O planeta agradece.  

 

  • Não pegue sacolas plásticas! Tenha sempre ecobags enroladinhas na bolsa.
  • Recuse copinhos descartáveis. Leve sempre uma garrafinha ou copo reutilizável na bolsa. Tem alguns copos retráteis que ocupam muito pouco espaço e cabem até no bolso.
  • Recuse canudos. Eles ainda vêm com aquelas embalagens plásticas em volta, gerando mais lixo. Se você fizer muita muita muita questão de usar canudo, existem já no mercado uns reutilizáveis feitos de bambu. Aí é só carregar na bolsa.
  • Se você costuma comer fora de casa, leve na bolsa um guardanapo de pano e um jogo de talheres (garfo/faca/colher). Em lanchonetes e restaurantes os guardanapos e talheres costumam vir embalados em plástico, assim como os canudos.
  • Sempre que possível, é legal levar comida de casa. Além de economizar uma grana, você não gera lixo com as embalagens.
  • E se for pedir comida em casa, avise ao restaurante que não precisa mandar os talheres de plástico.
  • Recuse a segunda via do cartão. Hoje em dia a maioria dos cartões tem a opção de te mandar a confirmação de compra por SMS ou email. Pra que pedir um papel que você vai jogar fora mesmo? Além disso, esse papel tem uma camada plástica que não permite a reciclagem.
  • Absorventes descartáveis comuns não são recicláveis no Brasil, produzindo um grande impacto ambiental. Que tal trocá-los pelo coletor menstrual, pelas calcinhas com camada absorvente, pelos absorventes orgânicos ou pelos absorventes de pano?
  • Prefira xampus sólidos que vêm embalados em papel ao invés de potes de plástico. E comprando de pequenos produtores a gente ainda ajuda a economia local e dá menos dinheiro para as grandes marcas.
  • Saquinhos de organza ou de papel são ótimos pra pesar frutas e legumes no mercado e evitam gastar mais sacos plásticos.
  • Não compre cotonetes. Você não devia limpar seus ouvidos com eles mesmo.
  • Que tal trocar aqueles disquinhos de algodão descartáveis para remover maquiagem por disquinhos de crochê reutilizáveis? Clique aqui  para você aprende a fazer o seu:
  • Sempre prefira produtos que não tenham embalagens plásticas desnecessárias.
  • Algum aparelho quebrou? Por que não tentar consertar ao invés de jogar fora e comprar outro?
  • Pilhas e baterias têm metais pesados na sua composição e não podem ser descartadas com o lixo comum. Várias cidades têm pontos de coleta de lixo eletrônico – é só se informar e levar lá. Aqui http://www.cempre.org.br/ é possível localizar iniciativas de reciclagem em várias cidades brasileiras.
  • Separe o lixo orgânico do não orgânico (saiba aqui como) Você pode inclusive usar os resíduos orgânicos e fazer compostagem em casa: acesse o guia
  • Sabia que cada litro de óleo de cozinha que vai pelo ralo contamina milhares de litros de água? Então quando usar óleo, espere ele esfriar e armazene numa garrafa PET de 2 litros. Várias cidades possuem postos de coleta de óleo. É só dar um google e se informar sobre a sua.
  • Segunda Sem Carne. A criação de animais para o consumo humano representa uma porção significativa na emissão de gases poluentes, contribuindo para mudanças climáticas no planeta. A campanha Segunda Sem Carne estimula que as pessoas diminuam o consumo de carne, nem que seja por apenas um dia na semana. Em um ano estima-se que, para brasileiros, isso representaria uma economia de 3400 litros de água e 24 metros quadrados de terra, além de uma diminuição de cerca de 14kg na emissão de CO2.

 

Gostou? A Cristal do Um Ano Sem Lixo (http://www.umanosemlixo.com/) tem ainda mais dicas no site dela.

Mariana Fonseca
  • Coordenadora de Saúde
  • Colaboradora de Literatura e do Leitura das Minas

Mariana tem 25 e se formou em medicina. Carioca, ama viver no Rio de Janeiro, mas sonha em voltar para a Escócia. É feminista deboísta e acredita que todo mundo merece chá.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos