23 de outubro de 2015 | Ano 2, Edição #19 | Texto: | Ilustração: Isadora Maldonado
Algumas amizades apenas deixam de ser

Este não é um texto sobre pessoas que são tóxicas e que, por isso, devem ser, em algum momento da sua vida, deixadas; tampouco é um texto sobre términos e motivos que levam a ele. Aqui, eu vou falar sobre amizades que apenas deixam de ser. Sabe aquele sentimento de que já não é a mesma coisa e que você só é amiga daquela pessoa porque se acostumou? Ou aquela amiga de quem você se afastou, não porque houve uma briga ou algo assim, mas apenas porque aconteceu? Pois bem.

Algumas vezes não precisa de motivo para que você se afaste de determinadas pessoas. Algumas vezes, vocês simplesmente param de ter os mesmos interesses, os assuntos em comum passam a ser cada vez menores, as suas ideias de vida e opiniões começam a divergir muito e o contato diminui, você muda de escola ou cidade e a falta de convívio faz com que a relação esfrie.

E sabe, é comum você se sentir mal quando se percebe cada vez mais distante de tal pessoa, mas você não deveria. Isso é uma coisa que acontece com todo mundo, e muitas vezes a gente tem a mania de tentar ficar resgatando a intimidade que uma vez existiu por estarmos acostumados a ela. Sabe aquela sua amiga com a qual você sente que não tem nada em comum atualmente e que, quando se veem, tudo o que fazem é relembrar de momentos antigos pelos quais vocês passaram? Para que viver uma relação que é baseada somente em nostalgia, e não em criar novos momentos?

Conforme a gente cresce, passamos por algumas experiências que marcam a gente e que são decisivas na nossa formação. E, às vezes, alguns amigos seus não passam pela mesma vivência e parecem não perceber o quanto aquilo significou na sua vida. E aí fica difícil conviver com alguém que ou menospreza ou apenas não entende tal experiência.

Mas, ao mesmo tempo, como você apenas se afasta de alguém sem brigar com ela? Quer dizer, é muito mais fácil parar de falar com determinada pessoa se houver uma briga ou um motivo concreto para tal, mas como simplesmente se afastar porque você acha que aquela pessoa não tem mais a ver com você?

É um processo que provavelmente vai doer, afinal, as lembranças do que vocês passaram juntos sempre vai estar lá. Mas, ao mesmo tempo, forçar uma amizade que apenas não significa mais o que era pode ser exaustivo e sem propósito.

Isso também não significa que vocês nunca mais vão se falar e que a amizade nunca mais poderá voltar a ser a mesma; nada nessa vida é tão definitivo assim. Quem sabe, daqui a algum tempo, vocês não consigam retomar a amizade, seja porque a pessoa finalmente vivenciou uma coisa que a fez ter algo em comum com você, seja porque os gostos dela (ou seus) mudaram.

Amizades não precisam ser para sempre. Às vezes, elas podem ter um começo, um meio e um fim e isso não as torna menos especiais do que as que duram para sempre. Acho que é bom ter em mente que não é porque você não é mais amigo de alguém que o que vocês partilharam não foi importante e relevante para você. São relacionamentos em um mundo complexo, e às vezes eles apenas deixam de ser, o que não apaga a beleza do que foi.

Marina Monaco
  • Colaboradora de Música
  • Social Media
  • Audiovisual

Marina tem 25 anos, mora em São Paulo, é formada em Audiovisual e cursa Produção Cultural. É apaixonada pela cor amarela, por girassóis e pela Disney. Ouve música o dia inteiro, passa mais tempo do que deveria vendo séries e é viciada em Harry Potter (sua casa é Corvinal, mas reconhece que tem uma parte Lufa-Lufa).

  • Luana Rizo

    muito bom!

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos