1 de agosto de 2014 | Culinária & FVM | Texto: | Ilustração:
Picolé de arco-íris <3

Então, o primeiro tutorial de tema #cores vai ser bem facinho. Acho que estamos curtindo esse padrão, heim, de começar o mês pelos mais fáceis e terminar com os mais complicados – faz sentindo, né? Assim vamos ganhando confiança. Pois bem.

Se tem uma coisa que eu amo e odeio ao mesmo tempo é o Pinterest – amo porque ele é fonte infinita de inspiração, odeio porque sei que muitas vezes não vou conseguir executar aquele DIY com tamanha perfeição. Aliás, quem ainda não deu uma olhada no Pinterest Fail corre lá pra se matar de rir. Abaixo, um dos meus exemplos favoritos:

fail

Daí que se tem uma coisa que o Pinterest ama é comida de arco-íris. Bolo de arco-íris, drinks de arco-íris, cupcakes de arco-íris, picolés de arco-íris. Eu sempre achei que o picolé em camadas fosse uma dessas ciladas, e que qualquer tentativa de fazer eu mesma terminaria invariavelmente no #pinterestfail. Entra o nosso tema do mês. Como falar de cores e não tentar uma receita de arco-íris? Me enchi de coragem e resolvi tentar. Vem comigo que o drama não é tão grande assim.

Você vai precisar de:

  • Forminha para picolés (aqui no Rio eu encontrei essa na Multicoisas, que eu sei que tem em outras cidades também. Mas queria ter comprado uma maior, que fizesse picolés no formato “normal”. Se alguém souber onde compra, avisa nos comments, ok?
  • Sucos, muitos sucos, dos sabores que você quiser (depois vamos falar de extras, tipo leite condensado e gummy bears).
  • PACIÊNCIA (vamos chegar lá também).

01

Bom, como eu estava com pressa, acabei comprando sucos prontos (mas naturais) no Hortifruti. Na ordem: suco verde, suco de laranja com morango e suco de uva. Preciso nem dizer que aqui o céu é o limite, né? Vai do seu gosto e do tipo de arco-íro (risos) que você quer criar. Pode botar leite condensado? Pode (eu não testei, mas não vejo por que não daria certo). Pode colocar gummy bears pra eles congelarem dentro do suco? Pode (ou pelo menos o Pinterest diz que pode). Pode botar vodka? Se você tiver mais de 18 anos e for beber responsavelmente, pode também.

Como proceder:

Gente, não tem mistério. Divida (no olhômetro) o recipiente do picolé pela quantidade de camadas que você quer fazer e coloque a primeira camada.

02

Leve ao freezer.

03

Exercite a sua paciência por mais ou menos uma hora e meia, e só então coloque a segunda camada.

04

[ATENÇÃO: neste ponto, se você estivesse com uma forminha de picolé normal, seria o momento de colocar o palito. Mas como nessa forminha que eu comprei o maldito palito cobre a entrada de líquidos quando é colocado, tive que improvisar, senão não teria como colocar a terceira camada. Então ele voltou pra geladeira sem o palito. A solução que eu dei foi deixar essa segunda camada um pouco menos no freezer – o suficiente pra congelar, mas não pra virar uma pedra de gelo. Aí quando coloquei a terceira camada, dei uma forçadinha com o palito e ele “furou” a segunda camada também. Ufa.]

05

Feita a terceira camada e posto o palito, aí tem que ser mesmo o rei da paciência. O primeiro picolé que tentei desenformar ainda não estava 100% congelado, e a terceira camada vazou e sujou toda a minha cozinha. Uma horinha depois deu tudo e certo e tcharã!

06

Não ficou lindo? Posso me autoproclamar a rainha do Pinterest? Yay! <3

queen

 

Luiza S. Vilela
  • Coordenadora de Culinária & FVM
  • Colaboradora de Estilo
  • Colaboradora de Esportes
  • Revisora

Luiza S. Vilela tem 28 anos e mora no Rio, mas antes disso nasceu em São Paulo, foi criada em Vitória e viveu uma história de amor com Leeds, na Inglaterra, e outra com Providence, no Estados Unidos. Fez graduação em Letras na PUC-Rio e mestrado em Literatura e Contemporaneidade na mesma instituição. É escritora, tradutora, produtora editorial e acredita no poder da literatura acima de todas as coisas.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos