7 de abril de 2020 | Saúde | Texto: | Ilustração: Raphaela Corsi
Bloqueando o barulho – Mantendo a saúde mental em tempos de Coronavírus

Os acontecimentos dos últimos meses com relação ao Coronavírus viraram a rotina de todo mundo de cabeça para baixo. O isolamento transformou a forma como estudamos, trabalhamos e nos reunimos com as pessoas queridas. Coisas simples do dia-a-dia como ir ao mercado e usar o transporte público se tornaram uma dor de cabeça. Se ligamos a televisão ou abrimos as redes sociais, somos bombardeadas com números cada vez maiores de pessoas infectadas, gráficos que mostram o aumento do contágio, posts alertando para os cuidados de prevenção, comentários de inúmeros especialistas e palpites inconsequentes sobre o assunto… Ufa! Todo esse barulho cansa!

Quem lida com a ansiedade diariamente sabe do que eu estou falando – situações imprevisíveis como esta em que estamos só pioram o sentimento de impotência e a preocupação com o futuro. O excesso de informação começa a nos deixar tontas, com falta de ar e até palpitações. Fica difícil se concentrar nos estudos (ainda mais à distância), nas tarefas do trabalho. Pode até parecer pra você que está com os sintomas do Coronavírus, o que vai te deixar ainda mais ansiosa e estressada.

Apesar do impacto negativo da pandemia, é possível entender as respostas do nosso corpo como um chamado para entender melhor sobre nós mesmas. Aproveitar o tempo de isolamento para bloquear esse barulho, olhar para dentro, analisar como nos sentimos e como reagimos pode ajudar.

É importante não deixar esse monte de notícias ocuparem o seu tempo livre. É claro que é bom ficar informada, saber que atitudes tomar para se prevenir e cuidar de si e de quem está perto de você, mas aqui estou falando de limitar a sua exposição a informações que não vão te fazer bem.

Ao invés disso, escolha uma atividade bem legal que vai prender sua atenção e te distrair. Você pode ver aquele filme ou série bacana que está na sua lista há um tempão ou fazer uma playlist só com as suas favoritas e dançar sozinha pela casa. Ler um livro com uma história bem interessante, uma biografia de alguém que você admira… E se você gosta de fazer artesanatos, que tal tentar fazer um acessório de miçangas, aprender a tricotar  ou até fazer decorações pro seu quarto com materiais que achar em casa

Preciso destacar aqui que é muito bom procurar atividades que te deem prazer como estratégia para lidar com tudo o que está acontecendo. Mas não fique se sentindo pressionada para preencher todo o seu tempo e fazer mil coisas. Não se sinta culpada se você vê nas redes sociais que amigues estão pintando, bordando, fazendo yoga na sala de estar e você não conseguiu se levantar da cama ainda. O importante é respeitar os seus limites e fazer o que conseguir para se sentir bem e saudável.

Isabella Rangel
  • Colaboradora de Artes
  • Colaboradora de Se Liga
  • Colaboradora de Culinária e FVM

Isabella é curitibana e tem 20 anos de idade. A chuva, para ela, é um estado de espírito, muito bem apreciado com muitas xícaras de chá. É fã de museus, música e aventuras gastronômicas e gosta ainda mais de atividades que combinem os três. Hoje vive no interior de São Paulo, e quando não está lendo livros para a faculdade de Direito, ela pratica seu clarinete, assiste musicais e lê mais livros.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos