1 de outubro de 2014 | Edição #7 | Texto: , and | Ilustração: Clara Browne
Carta das editoras #7: Magia

Abra os olhos, outubro chegou. E, junto a isso, a oitava edição da Capitolina se inicia. E nada melhor para o mês de outubro – esse mês de crianças e bruxas – do que o tema magia.

Olhe ao redor e nos diga: o que no mundo não é mágico?

Para listar milhões de coisas, você nem precisa ser estudante de Hogwarts, é só olhar um pouquinho melhor e BUM: o encanto está todo aí! Só de sabermos que existimos, só de sentir o vento batendo, só de usar a energia do sol e fazer coisas se movimentarem, só de saber que você está acessando esse texto por uma tecnologia wi-fi! Só de estarmos aqui, vivas.

A magia está em todo o lugar! Está nas plantas, no ar, em um momento especial, nessa coisa louca que é crescer. A magia está no amor, está na possibilidade de se transformar dependendo de com quem você está. A magia está no sol, nessa energia solar que invade nossas memórias e faz com que tudo volte a passar pelo coração. A magia está na lua, nos mundos que aparecem e desaparecem ao brilho do luar.

A magia está em saber e não saber. Em se perguntar sobre seres mágicos que contam os livros e as lendas; em ter certeza que, naquela tarde de verão, uma fada comeu o bolo de chocolate que você deixou perto do galinheiro do sítio. A magia está naquele momento em que você finalmente entende aquele conceito de matemática ou de filosofia, quando dá um click e tudo fica mais claro. Ou quando aquela pessoa te olha nos olhos e você simplesmente tem que sorrir.

Talvez as bruxas saibam mexer com essas coisas melhor do que nós, reles mortais, com suas poções, varinhas e domínio de uma energia que está além de nossa compreensão. Talvez as crianças entendam a magia melhor do que nós; elas simplesmente aceitam a existência dela e se encantam, pois tudo é novo, tudo é vida. Talvez exista muito mais coisa entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã filosofia. E é por isso mesmo que nós da Capitolina dizemos:

Vamos, abra os olhos. Tudo no mundo é mágico.

Tags:
Clara Browne
  • Cofundadora
  • Ex-editora Geral

Clara nasceu em 1994 no Rio de Janeiro, mas se mudou para São Paulo ainda pequena. Estuda Letras e sempre gostou mais de poesia do que de prosa. Ama arte moderna, suéteres e o musical Jesus Cristo Superstar. Aprendeu a fazer piadas com seu nome e sobrenome por sobrevivência. Em setembro de 2013, teve a ideia da Capitolina, a qual co-editou até setembro de 2016. Hoje em dia, ela escreve pra um montão de lugares. É 50% Corvinal e 50% Lufa-Lufa.

Lorena Piñeiro
  • Cofundadora
  • Ex-editora Geral

Lorena tem 26 anos e mora no Rio, embora tenha crescido nos subúrbios da Internet. Trabalha com análise de roteiros televisivos, avalia manuscritos literários, traduz e revisa obras em inglês e escreve por aí. É igualmente fascinada pelo gracioso e pelo grotesco. Adora filmes de terror, livros de fantasia, arte surrealista e qualquer coisa que não carregue o mínimo semblante de realidade. Tem empatia até por objetos inanimados e queria ser um urso ?•?•?

Sofia Soter
  • Cofundadora
  • Ex-editora Geral

Sofia tem 25 anos, mora no Rio de Janeiro e se formou em Relações Internacionais. É escritora, revisora e tradutora, construindo passo a passo seu próprio império editorial megalomaníaco. Está convencida de que é uma princesa, se inspira mais do que devia em Gossip Girl, e tem dificuldade para diferenciar ficção e realidade. Tem igual aversão a segredos, frustração, injustiça e injeções. É 50% Lufa-Lufa e 50% Sonserina.

  • Verônica Vilela

    QUE ILUSTRA LINDA <3

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos