21 de dezembro de 2017 | Ano 4, Edição #39 | Texto: | Ilustração:
Consciência Negra: #Capitomigas
Consciência Negra: #Capitomigas
O tema de Novembro foi Consciência Negra. Pedimos para as leitoras capitomigas nos ajudarem a celebrar as conquistas e beleza das mulheres negras. Ficamos muito felizes com o que recebemos! Obrigada a todas que participaram. A próxima #capitomigas será anunciada no nosso Instagram.
marcia
marcia2
(Márcia Gomes)
GADEIA
por Aline Piovan (@alinepiovan)
cabeleira desatada
que dá o norte de onde vim
pézinho na senzala?
TENHO SIM!
e nem por isso
permitirei que continuem
decidindo por mim.coroa que aflora toda raiz
cresce robusto, extravagante
cheio, alto
es(VOA)çante
e ainda que forte
sinal de resistência
se apega às coisas pequenas:
fiapos grudados
folhinhas das árvores
abrigo de miudezas.se hoje o exibo com satisfação
num é pra fazer fiasco pra gente branca não!
é pra mostrar pras meninas de cor
que cabelo cacheado tem o seu valor.
BIO: Aline Piovan é RP em formação. Integrante do Núcleo Preto Belas Artes e Poeta no blog Devaneios Casuais.
pamela

Consciência é isso: Transformarmos toda dor em motivo de luta.

Seguimos colorindo esse mundo tão cinza, compartilhando o amor, a força e nossa resistência!
(Pamela)
akemi
Gritaram-me NEGRA
(Akemi Moraes)

Para todas as minhas irmãs <3

A todas as meninas
E mulheres negras
Que um dia se sentiram oprimidas
Saibam que vocês são incríveis
Há de chegar o dia
Em que seremos ouvidas

Ah, se você soubesse
A história que esse cabelo traz…
A marca de ancestralidade
Que esses traços carregam
Sua particularidade
Vai muito além
Desses padrões de beleza que te sobrecarregam

Não se esconda jamais
Não se envergonhe
O seu povo um dia
Lutou e resistiu
Para que hoje você seja livre
Para que você se orgulhe e sonhe

Assumir essa identidade negra
É um ato político
É uma afronta a esse sistema doente
Que transformou a beleza em obsessão
Que insiste em nos colocar no lugar
Da moreninha, da empregada
Da globeleza
Da mulata exportação

Chegaremos ao topo
E também ao lugar acima deste
Caminhamos juntas
E temos a luz da igualdade como direção
Não cederemos as palavras de ódio
E as tentativas de nos reduzir aos cargos de subordinação

Com orgulho lembraremos
De todas aquelas que pela história foram esquecidas
As quais as contribuições foram enterradas
Mas as sementes dessa trajetória
Crescem e se multiplicam a cada minuto
Cada vez mais fortes
Cada vez mais empoderadas

Cumpro meu papel de poetisa
De menina
De mulher
De expressar em versos
O sentimento de uma luta inteira
Viva a representatividade feminina
Viva a mulher negra.

(Ana Oliveira)

Rebecca Raia
  • Coordenadora de Artes
  • Colaboradora de Relacionamentos & Sexo
  • Coordenadora Editorial

Rebecca Raia é uma das co-fundadoras da Revista Capitolina. Seu emprego dos sonhos seria viajar o mundo visitando todos museus possíveis e escrevendo a respeito. Ela gosta de séries de TV feita para adolescentes e de aconselhar desconhecidos sobre questões afetivas.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos