15 de janeiro de 2016 | Culinária & FVM | Texto: | Ilustração:
Cozinhando flor de comer

Minha intenção quando pensei em fazer uma receita com uma flor de comer era usar uma PANC. Tem muitas (muitas mesmo) florzinhas por aí que a gente pode comer, mas infelizmente a gente não sabe de quase nada sobre esses matinhos comestíveis, e só come aquilo que está no mercado toda vez que vai lá. Justamente porque a gente não tem costume de comer essas plantinhas, eu não encontrei elas para comprar aqui em São Paulo, nem na feira orgânica, nem nas hortas urbanas que eu conheço.

A ideia de fazer uma receita com uma flor desconhecida estava diretamente ligada ao tema da nossa edição do mês aqui na revista, que é criação. Nesse caso, seria sobre criar uma cultura de comer alimentos mais diversos, apresentar coisas novas para o nosso paladar, criar interesse pelas plantas que nutrem a gente todo dia e, principalmente, sobre criar vida, já que essa é a função de uma flor na planta: a de possibilitar que ela se reproduza.

Já que dessa vez não deu para trazer uma PANC pra matéria de culinária (mas ainda vou fazê-lo, me aguardem), eu resolvi trazer uma flor que a gente está bastante acostumado a comer, mas não sabe que é flor: o brócolis!

Não é que a cabeça do brócolis em si seja uma flor, mas cada cabecinha que ele tem (que forma aquelas arvorezinhas, que formam arvores maiores, que tem o talo do brócolis como tronco) é uma flor! Nós geralmente consumimos elas quando ainda estão fechadas, mas é comum ver no mercado algumas cabecinhas abertas, geralmente quando o brócolis foi colhido um pouco tardiamente, e é fácil ver que elas são bem amarelinhas!

0c

A receita em sí é uma pastinha de brócolis, que dá pra comer tanto no pão quanto em cima de um macarrão, ou coisa do tipo. Eu comi ele com tiras de cenouras cozidas, e da pra fazer também com abobrinha, abóbora, pepino, ou qualquer outra coisa do mundo. Deve ficar bom com peixe!
Você vai precisar de: 1 cabeça de brócolis, 6 dentes de alho, azeite (fui de olho, imagino que seja algo em torno de 1/3 de xícara), sal, pimenta e salsinha (ou qualquer outra erva que você quiser por).

1c

A primeira coisa a se fazer é lavar o brócolis e cortar. Na sequência, temos que colocar ele para cozinhar. Eu deixei cozinhando no vapor, mas se você não tiver uma panela de vapor, pode colocar numa panela comum com água. Tem que deixar cozinhando até ficar bastante mole, de um jeito que você consiga amassar o brócolis facilmente.
Quando você estiver quase atingindo este ponto, já pode começar a preparar a segunda parte da receita, que é refogar o alho. Esprema os seis dentes de alho numa panela e coloque bastante azeite (o alho tem que boiar no azeite, é isso que vai fazer com que a consistência da pastinha fique boa). Quando o alho estiver bem dourado, adicione o brócolis mole nesta panela e mexa enquanto esmaga o brócolis. Se você tiver um esmagador de batata, use-o. Se não, pode fazer isso com um garfo ou batendo com uma colher de pau.

2c

Quando o brócolis já estiver com consistência de pasta, pode desligar o fogo. Aí passe isso para uma travessa, misture mais um pouco de azeite, o sal, a pimenta e a salsinha picadinha.

3c

Tá pronto para comer com o que você quiser!

4c

Natália Lobo
  • Coordenadora de Ciência
  • Colaboradora de Culinária & FVM

Natália tem 20 anos, casa em dois lugares (ou em lugar nenhum, depende do ponto de vista), gosta de fazer e de falar sobre comida, é feminista desde que se entende por gente.

  • http://equantoapepsi.blogspot.com.br Juliana

    Amei! Quero fazer logo.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos