6 de julho de 2014 | Estilo | Texto: | Ilustração:
Cuidados na estrada

Ilustração: Julia Oliveira

O tema da Capitolina desse mês é viagem e fiquei pensando que seria legal falar sobre o que muda na nossa relação com a beleza durante esse tempo que a gente passa fora de casa. Pensei em cinco tópicos que valem a pena ser levados em conta, dependendo de onde você vai e em que circunstâncias você vai. Espero que essas dicas possam te ajudar a explorar ao máximo o destino escolhido sem paranoias com a aparência – mas é claro que quem escolhe a estrada mais adequada pra curtir sua viagem é você mesma!

1) Ninguém quer ser surpreendida por uma mala melecada! Embale bem os produtos de higiene pessoal e cosméticos na hora de transportá-los. Cuidado adicional para líquidos e cremosidades. Não se esqueça também das maquiagens em pó: mesmo compactados sempre há o risco de alguma coisa quebrar ou abrir com os trancos do caminho. Meus melhores amigos nessa missão costumam ser plástico filme, papel alumínio, saquinhos de supermercado e fitas adesivas. Se der, leve o mesmo material para embalar de novo na volta para casa – você provavelmente terá destruído as embalagens para usar suas coisas.

2) Se você for se embrenhar  no mato ou na praia, se for acampar ou fazer um mochilão, uma palavra pra você: desestressa. O contato com a natureza e o mar é perfeito pra desacelerar o ritmo. Potencializasse o relaxamento deixando de lado as neuras de estar sempre arrumadíssima e impecável. Seu cabelo e sua pele também merecem sossegar o facho! E outra: esses lugares não costumam ter todos os recursos que sua casa tem. Não adianta levar secador de cabelo pra um lugar que não tem energia elétrica, né? Se for mochilão, pense que quanto mais coisa você levar, mais coisa você vai ter que carregar! Tamanhos mini dos seus itens favoritos podem amenizar a situação, mas seja ponderada.

3) Comprar é legal, mas não é só isso que tem pra fazer quando se viaja. As grandes metrópoles costumam ser excelentes destinos de compra e os free shops dos aeroportos podem ser realmente tentadores, mas será que vale a pena deixar de fazer um passeio para gastar esse dinheiro num perfume? Não se deixe hipnotizar pelas vitrines e preços baixos, a maior lembrança que você pode trazer de uma viagem são as experiências. Planeje com calma uma lista do que você quer antes de chegar ao destino. Assim você aproveita a oportunidade de pagar barato pelo batom da MAC que sempre sonhou e de quebra não perde uma tarde inteira em dúvida com qual cor de sombra levar.

4) Quando não viajamos sozinhos, precisamos pensar que o que fazemos afetará todo o grupo. Eu sei que pode ser duro, mas preciso te contar um segredo: o mundo não gira em torno do seu umbigo. Uma boa companhia de viagem jamais deixará os outros esperando no saguão do hotel porque pre-ci-sa muuuito fazer chapinha e usar todos os itens do nécessaire antes de sair. Sem choro, nem vela, vai: é uma rotina atípica, não é pro resto da sua vida.  Acelera o passo e vai logo explorar o lugar com todo mundo!

5) Uma das melhores partes de conhecer um lugar novo é abrir os olhos pra todas as coisas novas à nossa volta. Aguce sua sensibilidade para novas inspirações e referências! Perceba, por exemplo, como o fato de uma cidade ter praia afeta a maneira com que as pessoas se vestem. Troque ideias, descubra o que fazem as meninas locais para ter cabelos tão brilhantes ou de que fonte elas bebem para ter estilos tão originais – seu repertório agradece. É divertido também usar essas tendências locais enquanto se está por lá, ou ainda fazer experimentos que você normalmente não teria coragem de fazer. Arrisque o cabelo desarrumado pelo vento, vai que cola e você leva um visual a mais e uma neura a menos pra casa?

 

 

 

Julia Oliveira
  • Coordenadora de Estilo
  • Ilustradora

Julia Oliveira, atende por Juia, tem 22 anos e se mete em muitas coisas, mas não faz nada direito — o que tudo bem, porque ela só faz por prazer mesmo. Foi uma criança muito bem-sucedida e espera o mesmo para sua vida adulta: lançou o hit “Quem sabe” e o conto “A ursa bailarina”, grande sucesso entre familiares. Seu lema é “quanto pior, melhor”, frase que até consideraria tatuar se não tivesse dermatite atópica. Brincadeira, ela nunca faria essa tatuagem. Instagram: @ursabailarina

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos