29 de janeiro de 2021 | Sociedade | Texto: | Ilustração: Raphaela Corsi
Fala Mais: Visibilidade trans para além do binário

Ser trans é romper com o que nos é imposto ao nascer. E esse rompimento pode até mesmo ser se identificar fora do binário homem/mulher.

Isso foi algo que descobri ao me conhecer melhor e entrar em contato com outras pessoas que se sentiam como eu. É um sentimento bom de pertencimento e acolhimento. Saber que não estou sozim e que minha identidade é válida fez toda a diferença naquele momento e continua fazendo.

Refletindo sobre isso e lembrando que hoje, dia 29 de janeiro, celebramos o dia da visibilidade trans/travesti, quis trazer pessoas que me inspiram e amizades minhas para compartilharem aqui sua visão sobre o que é ser não-binárie e a não-binariedade.

 

“Não-binário é um termo guarda-chuva pra todas as identidades fora do binário de gênero, ou seja, que não é completamente homem nem mulher. Nisso se engloba quem não é nenhum dos dois, algo além dos dois, um pouco dos dois, etc.”

Nick Thomás (@nicknagari)

 

“Ser NB (não-binário) pra mim é ser uma rachadura da muralha das binaridades, do cissexismo, da misoginia e do patriarcado. É romper com a heterocisnorma e com tudo que a colonização trouxe junto com a transfobia, o racismo e a herança de uma coroa europeia sórdida branca e cristã. É também ir de encontro com minha alma, meu espírito, minha identidade e tudo que remete e explica quem eu sou por completo.”

Júpiter (@jupi77er)

 

“Não-binariedade é forma de pensamento que amplia as possibilidades de existência dos seres. Escuta para o que somos em essência, a mistura de diversas energias que se expressam de maneira livre e vívida, de forma única em cada ser humano.”

Eli Nunes (@eli.uai)

 

“Para entender não-binariedade dos gêneros é necessário compreender a afirmativa: gêneros são delírios sociais. Embora sejam também tecnologias palpáveis de expressividade, identidade, consumo e regulação social, a não-binariedade dos gêneros atravessa tais conceitos comprovando a “desordem” possível dentro dessa organização fantasiosa. Não-binariedade, portanto, é a experiência viva de infinitas combinações corpo-gênero.”

Lui Rodrigues

 

“Para mim, ser não-binário passa pelo entendimento de entender que meu corpo e minha identidade transmasculino e branco não vão ao encontro da lógica binária. Para mim, não faz mais tanto sentido ser trans e binário porque enquanto trans temos que superar esse sistema binário que nos causa tanta violência e criar novas possibilidades de existir e estar no mundo.”

Mohammed Azambuja

 

“Não-binariedade é sobre dizer não ao que me foi imposto sobre mim. Ao que foi dito por outres que eu sou. É sobre trilhar outros caminhos, permitindo de verdade fluir.”

Morgs Rodrigues (@morgsrodriguez)

 

“Ser não-binário é um lugar dentro de mim em que estou livre.”

Talvez este texto não tenha fim e sirva apenas para apontar possibilidades de existir e ser no mundo. A transexualidade não carrega tantas regras quando a cisgeneridade.

A não-binariedade pode ter um significado diferente para pessoas diferentes e está tudo bem. Pois é na pluralidade e diversidade de nossos corpos e identidades que nós, pessoas trans não-binárias, vivemos, existimos e resistimos.

* Agradecimento especialmente a Lê por ter me ajudado a organizar minhas ideias e o texto. Gratidão imensa a todas as pessoas que contribuíram para a construção deste texto.

** Para saber mais sobre não-binariedade, visitem o Guia Básico da Não-binariedade escrito por Nick Thomás

Amir Cardoso
    Metade de mim é curiosidade. A outra metade é revisão. Amante dos livros, esportes, música e podcasts. Nasci em 1994, sapatão, pessoa trans não-binária e preta. Bacharel em Letras pela UFMG, amo escrever, mas amo mais ainda revisar. Coleciono sonhos e livros não lidos.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos