2 de abril de 2017 | Colunas, Relacionamentos & Sexo | Texto: | Ilustração: Sarah Roque
Fala que eu te escuto: nossa coluna de conselhos!

Às vezes queremos perguntar alguma coisa para alguém e não sabemos direito para quem perguntar, né? Por isso resolvemos começar uma coluna de conselhos na Revista Capitolina! Você pode perguntar o que quiser sobre relacionamentos e sexo aqui. Sua identidade não será revelada e seu segredo está seguro entre nós! Só não podemos responder questões de saúde – essas devem ficar para profissionais da área. A coluna será publicada na primeira semana de cada mês.

–  Como posso derrubar a ideia de amor romântico da minha mente? Quando tinha 13 anos, passava meus fins de semana assistindo comédias românticas e hoje tenho muito problema pra me relacionar por conta disso. Sempre me sinto inferiorizada por não ser como aquelas atrizes, ou reclamo das coisas não serem como nos filmes. No geral, acabo sonhando com uma história perfeita e não deixando que de fato alguém entre na minha vida e deixe meus dias mais legais. (Mesmo que eu esteja apaixonada pela pessoa). Isso só tem me acarretado tristeza e muita falta de confiança em mim mesma.

RESPOSTA:  

Oi, querida! Tudo bem? Acho que muitas de nós somos influenciadas pelas comédias românticas que assistimos, mas esses filmes não são demonstrações realistas da nossa sociedade e de como nos relacionamos. Nós vivemos histórias muito mais complexas do que as de personagens fictícios. A gente talvez possa não encontrar o grande amor da nossa vida trombando com ele/a na rua, mas no fim, quem tem a capacidade de deixar nossos dias mais legais somos nós, através das decisões que tomamos. Se conhecemos ou vamos conhecer alguém para complementar nossas vidas está fora do nosso controle e não precisa ser um fator decisivo para nossa felicidade.

A Bia Quadros escreveu um pouco mais sobre isso há um tempo atrás nesse texto aqui.

Esperamos ouvir de vocês nos próximos meses!

 

Rebecca Raia
  • Coordenadora de Artes
  • Colaboradora de Relacionamentos & Sexo
  • Coordenadora Editorial

Rebecca Raia é uma das co-fundadoras da Revista Capitolina. Seu emprego dos sonhos seria viajar o mundo visitando todos museus possíveis e escrevendo a respeito. Ela gosta de séries de TV feita para adolescentes e de aconselhar desconhecidos sobre questões afetivas.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos