9 de fevereiro de 2015 | Cinema & TV | Texto: | Ilustração: Gabriela Sakata
Filmes pra ver no Carnaval

 

 

A relação entre o Carnaval, a maior festa popular no Brasil, e o cinema vem de longa data. Separamos alguns filmes e séries brasileiras pra você assistir e se inspirar nesse Carnaval:

Alô, alô, carnaval (1936)

Essa comédia musical dirigida por Adhemar Gonzaga é o único filme brasileiro com Carmem Miranda que sobreviveu ao tempo. O filme, que é mais uma colação de apresentações de cantores de rádio, foi um grande sucesso nos cinemas populares do Rio de Janeiro e São Paulo.

 Banana da terra (1939)

Na fictícia ilha de Bananolândia, a produção de bananas empaca e não consegue ser vendida. A então rainha é aconselhada a vender as frutas ao Brasil. O filme de Ruy Costa não sobreviveu ao tempo, mas a sequência em que Carmem Miranda canta a clássica “O Que é Que a Baiana Tem?” ficou intacto.

Orfeu negro (1959) e Orfeu (1999)

Os dois filmes foram baseados na peça Orfeu da Conceição, de Vinícius de Moraes, que é uma releitura do mito grego de Orfeu e Eurídice durante o carnaval. O primeiro é uma coprodução ítalo-franco-brasileira, com trilha sonora de Tom Jobim e Luís Bonfá, e venceu o Oscar de melhor filme estrangeiro. É lindíssmo. Orfeu, de Cacá Diegues é uma versão mais contemporânea e se passa no carnaval carioca dos anos 90.

Filhos do carnaval (2006)

Série produzida pela O2 para a HBO Brasil, Filhos do Carnaval trata o tema por um viés diferente: a corrupção e a lavagem em uma escola tradicional de carnaval, e como isso se mescla com o espetáculo, a festa e a fé dos personagens.

Ó paí ó (2007)

O filme se passa todo no último dia do carnaval de Salvador, mostrando a relação dos moradores de um cortiço no pelourinho, que começa a se complicar quando a síndica, incomodada com a farra dos moradores, fecha o registro de água.

Canto da sereia (2013)

Na minissérie da Globo, Sereia é uma diva do axé que é assassinada em cima do trio elétrico na terça-feira de carnaval. Depois do choque, passamos a acompanhar as investigações sobre o crime, e acabamos descobrindo no meio do caminho tudo que há para além das fantasias e do brilho. Mas o figurino também não é de se deixar passar.

 

foto

Vale a pena também checar as fotos do Willy Rizzo e, como inspiração fina máxima, ver esse clipe do Timbalada e sair pra rua!

Isadora Maldonado
  • Colaboradora de Cinema & TV
  • Ilustradora
  • Audiovisual

Isadora N., 21.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos