28 de fevereiro de 2015 | Edição #11 | Texto: | Ilustração: Mazô
Links do mês #11: Fevereiro
Ilustração: Mariana Paraizo.

Como o tema de fevereiro foi COMUNIDADE, resolvi compilar alguns projetos colaborativos maneiros internet afora para este post de links do mês.

  • Revista Farpa – A Revista Farpa será feita só por mulheres, e está aceitando trabalhos para publicação pelos próximos dias! Se não tiver tempo de mandar algo, acompanhe para ver a primeira edição!
  • WITCH Collab BR – Vocês liam/curtiam a revista W.I.T.C.H.? Era uma revista para garotas que incluía também uma história em quadrinhos sobre bruxas adolescentes sensacionais. Nessa página, artistas convidadas recriam/homenageiam as capas da revista.
  • Alpaca Editora – A Alpaca publica (por enquanto online) textos e produções artísticas de mulheres, e adoraria receber os materiais de vocês!
  • Guia sobre crowdfunding – A Gabriela Sakata escreveu para a Capitolina sobre financiamento coletivo, e no post dela tem vários links legais para vocês conhecerem e apoiarem!
  • hitRECord – Infelizmente só em inglês, o hitRECord é um projeto incrível de artes colaborativas organizado pelo ator Joseph Gordon-Levitt. Se você souber inglês, recomendamos que dê uma olhada!
  • O primeiro dia internacional de fanworks (e uma conversa sobre fandom) – Já linkei esse texto da Gabriela Martins no meu post sobre comunidades online, mas vale postar de novo: ela fala sobre fandoms, e no final dá vários links super legais para quem quer se aventurar por esse mundo!
Sofia Soter
  • Cofundadora
  • Ex-editora Geral

Sofia tem 25 anos, mora no Rio de Janeiro e se formou em Relações Internacionais. É escritora, revisora e tradutora, construindo passo a passo seu próprio império editorial megalomaníaco. Está convencida de que é uma princesa, se inspira mais do que devia em Gossip Girl, e tem dificuldade para diferenciar ficção e realidade. Tem igual aversão a segredos, frustração, injustiça e injeções. É 50% Lufa-Lufa e 50% Sonserina.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.