11 de maio de 2014 | Edição #2 | Texto: | Ilustração:
Lupita Amondi Nyong’o: o sonho de Hollywood
LupitaNyong'o-IsadoraM

Ilustração: Isadora M.

Guarde esse nome: Lupita Amondi Nyong’o. Ela nasceu no dia 1º de março de 1983, na Cidade do México. Pouco após seu nascimento, a família voltou para o Quênia, de onde havia se mudado devido a perseguições políticas sofridas por seu pai; foi lá que ela cresceu e teve os primeiros contatos com o mundo da atuação, participando de peças escolares. Aos 16 anos, seus pais a enviaram para o México, num intercâmbio, para aprender espanhol, um dos quatro idiomas nos quais é fluente.

Lupita sempre teve o sonho de ser atriz. Estudou cinema na universidade de Hampshire, e depois de trabalhar como assistente de produção no filme O jardineiro fiel e perceber que realmente queria seguir a profissão resolveu estudar atuação na universidade de Yale. Pouco após sua formatura, foi escolhida para interpretar a escrava Patsy no filme 12 anos de escravidão – papel que a colocou no mapa da fama e lhe rendeu uma estatueta do Oscar de melhor atriz coadjuvante.

Diferindo do padrão hollywoodiano – o da mulher branca, magérrima, loira e de olhos claros –, Lupita, vista como exótica, chamou a atenção do mundo da moda com seu estilo ousado, desfilando seus vestidos coloridos com graça e elegância; foi capa de inúmeras revistas e escolhida para estrelar diversas campanhas. Mas os motivos que a tornam uma garota dos sonhos vão muito além.

A atriz serve de inspiração para diversas garotas que também não pertencem ao tal padrão, exatamente por ser diferente e estar sob os holofotes. A moça é engajada em causas sociais: em 2009, produziu e dirigiu um documentário chamado In my genes, que expõe os preconceitos sofridos por pessoas albinas no Quênia.

Em seu discurso no prêmio Essence, Lupita define a beleza como “compaixão por si próprio e pelos que estão ao seu redor” e diz algo que lhe era dito por sua mãe e que com certeza muitas de nós já ouvimos: “Beleza não põe mesa.”

E nos deixa com a mensagem dita em seu discurso de agradecimento ao Oscar: “não importa de onde você é, seus sonhos são válidos.”

Domenica Morvillo
  • Colaboradora de Artes
  • Colaboradora de Cinema & TV & Música

Domenica tem 18 anos e mora no interior de São Paulo, de onde sempre foi louca para sair. Não sabe bem o que quer da vida e às vezes tem vontade de largar tudo e se mudar para Tóquio. Gosta muito de ler, escutar música e conversar.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos