1 de outubro de 2017 | Ano 4, Colunas, Educação | Texto: | Ilustração: Gabriela Sakata
Manual supremo (ou não) da redação do ENEM
redacao-enem_gabrielasakata (1)

Então, voltamos às aulas. A rotina chegou abalando, e com ela pode ter vindo também aquele sentimento de PÂNICO, se você tá prestando vestibular esse ano.

Também, aquela famigerada provinha do ensino médio tá cada vez mais perto e a pressão começa a crescer. Por isso, eu vim aqui te abraçar e dizer: CALMA.

O ENEM hoje em dia também é meio um vestibular, né? Já dá pra entrar na maioria das universidades públicas pelo SiSU, que usa a sua nota na prova. A prova, em si, vou te dizer porque já fiz três edições da mesma, não é difícil. O que desespera mesmo é o cansaço. Afinal, dois dias de prova, tendo um 4h30 e outro 5h30 (mais a redação!) não é pouca coisa mesmo.

Esse ano tem uma (leve) vantagem, com o novo modelo: a prova acontecerá em dois domingos. É uma pequena vantagem, porque pelo menos tem uma semaninha aí pra descansar. Mas ainda assim, o primeiro dia vai durar 5h30, porque tem a redação. E agora que eu tenho essa missão de te deixar tranquila, vou disponibilizar aqui algumas dicas pra você arrasar na redação. Apresento a você:

O MANUAL SUPREMO (ou não) DA REDAÇÃO DO ENEM

Primeira coisa que você tem que saber: o tipo do texto é dissertativo-argumentativo. Isso quer dizer que você tem que apresentar uma tese, ou seja, expressar uma opinião a respeito do tema que for proposto. Essa opinião pode ser a sua ou não, isso não está em jogo, aliás, uma observação MUITO IMPORTANTE: mesmo que esta seja a sua opinião de verdade, não use a 1ª pessoa do discurso (eu, nós etc). A questão é que você também tem que argumentar, o que é, basicamente, tentar convencer alguém (hipotético) de que você está certa. Por isso, você precisa organizar o seu texto, colocar as ideias em ordem, também porque você tem um limite de 30 linhas. Eu gosto bastante de usar um esqueminha que é assim:

Introdução – cerca de 5 linhas

Desenvolvimento – cerca de 20 linhas; 2 a 3 parágrafos, 1 argumento para cada.

Conclusão + proposta de intervenção – cerca de 5 linhas.

Agora explicando o que você vai fazer em cada uma dessas etapas:

  •  Introdução

É aqui que você explica, muito resumidamente, qual é o tema e qual é a tese (opinião) que você pretende defender. Mas tem que ser resumido mesmo, claro e direto, porque é só uma introdução. Precisa deixar claro que você entendeu o tema e o que você está prestes a argumentar, mas não precisa já sair dando seus argumentos, porque isso é trabalho para o…

  • Desenvolvimento

A minha sugestão é que você faça cerca de dois ou três parágrafos que totalizem 20 linhas mais ou menos, para que você possa aproveitar bem o espaço disponível. Se você for fazer dois parágrafos, cada um pode ter 10 linhas, o que é um bom tamanho porque você tem um espaço legal pra desenvolver bem cada argumento que tiver.

Como o parágrafo é como se fosse uma “mudança de assunto”, é interessante que você use um argumento diferente em cada, para deixar seu texto mais rico e mostrar que você sabe do que está falando. Muito nesse texto depende da sua organização.

  •  Conclusão e proposta de intervenção

Bem, não adianta muito apontar o problema se não propuser uma solução, né? Por isso, a conclusão é fundamental para o seu texto, porque precisa vir com uma proposta de intervenção, que é basicamente a solução mesmo. Por exemplo, se o tema da redação é publicidade infantil, e durante toda a redação você se mostrou contra,  aqui é onde você diz como resolver o problema da publicidade infantil – proibição? O Estado deveria prover uma fiscalização mais rígida? Programas de conscientização nas escolas e na mídia? Você pode sugerir o que quiser, desde que respeite os direitos humanos.

  •  Outras dicas que podem te ajudar

Eu aprendi na escola uma técnica bem interessante, muito usada em cursinhos pré-vestibulares (porém nem todos), que é o tópico frasal, que é só começar todos os parágrafos da redação (introdução e conclusão também) com uma frase que resuma o que você vai dizer ali. Por exemplo, se você vai argumentar que a publicidade infantil é ruim por causa do consumismo, você começa o argumento: “O problema da publicidade infantil é que ela estimula o consumismo entre crianças” e aí desenvolve isso, citando, por exemplo, a questão dos sapatos que vêm com brinquedo de brinde, sempre de acordo com o que você quer dizer. Pode ser bem legal pra deixar seu texto direto e organizado.

Falando nisso, vou reforçar que a organização é fundamental. O rascunho não te dá muita liberdade pra fazer um esquema de tópicos pra organizar suas ideias enquanto lê os textos motivadores, mas eu sempre inventava algum lugar pra fazer isso… usava o final do rascunho de matemática, por exemplo, que tem espaço pra caramba. Isso tudo depende de como flui sua criatividade, cada um tem um processo diferente, mas é importante que você anote sempre suas ideias, do jeito que você quiser, pra não se perder na hora de estruturar o texto em si.

Leia os textos motivadores com atenção, sublinhe trechos que achar que vão te ajudar, faça anotações e JAMAIS copie trechos desses textos na sua redação (pode fazer citação, mas não cópia!).

Não precisa dar título, mas se quiser pode. Sugiro só que ele seja curto e resumido, e que você não pule linha antes do texto – não é necessário e é uma linha jogada fora.

Por último, mas não menos importante: faça a redação primeiro. Toda a prova é muito cansativa, mas a redação é mais ainda, então se livre dela logo. Faça em uma hora, uma hora e quinze/vinte minutos no máximo pra dar tempo de fazer o resto sem pressa. Quando terminar, vá ao banheiro, beba uma água, faça um lanchinho e volte pra prova.

Faça tudo com bastante calma, ansiedade só atrapalha!

Espero ter te ajudado a ficar mais tranquila. Boa prova!

Laura Miranda
  • Colaboradora de Relacionamentos & Sexo

Lau tem uma crush na cidade de São Paulo, mas só trocaria o Rio por Salvador. Tem 19 anos e cursa Letras com habilitação em Literatura, gosta muito de falar e aos 14 anos percebeu que queria mesmo ser professora - hoje faz isso voluntariamente em pré-vestibulares comunitários, além de uns trabalhos aqui e ali com cenografia e figurino. Foi auto-declarada rainha da internet em 2013 e acredita muito no poder político dos memes. Se assumiu lésbica com 15 anos e por isso entende algo sobre adolescência não-heterossexual, então tá disposta a conversar contigo se você não tiver coragem de conversar com mais ninguém sobre isso - pode mandar e-mail pra mrndlaura@gmail.com

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos