26 de dezembro de 2015 | Ano 2, Edição #21 | Texto: | Ilustração: Marina Sader
Não esquece de dormir, miga!

As últimas semanas de aula geralmente são um caos: você tem que dar conta de um milhão de provas, mas parece que seu cérebro já decidiu encerrar as atividades e decide não focar em nada. Seus horários ficam completamente aleatórios e você não sabe mais o que é hora de dormir ou de ficar acordada estudando para a prova do dia seguinte. Nas semanas seguintes, você se envolve com a confusão de coisas para fazer antecedendo as festas de fim de ano, talvez com os preparativos de uma viagem ou da recepção de algum parente que veio visitar a família. E, claro, quer descansar bastaaaaaaaaaante. No meio de todas essas atividades atípicas, é normal que sua rotina de sono fique toda atrapalhada. Mas, mesmo assim, é importante reservar um tempo para dormir! E dormir direitinho, viu? O sono suscita várias funções do nosso organismo, mas não é qualquer cochilo que faz isso.

O que é o sono?

O período de sono é um estado temporário e reversível do corpo que se intercala com o de vigília. Ele é caracterizado por uma determinada frequência de ondas cerebrais, ou seja, pelo funcionamento do cérebro de uma maneira específica. Apesar de ainda não sabermos com certeza quais são seus fins, as pesquisas indicam que o sono é responsável por permitir que o organismo recupere a energia que gastou durante o tempo em que passamos acordados, e ajudar a reestabelecer o equilíbrio do corpo, além de consolidar a memória e impulsionar o combate de doenças.

Ele é dividido em duas fases: REM (rapid eyes movement ou movimento rápido dos olhos) e NREM ou não-REM. A primeira é aquela em que o cérebro funciona de maneira mais vívida: acontecem os sonhos vívidos e seus músculos ficam tensos para que você não os encene. Na segunda, dividida em três fases de acordo com a profundidade do sono, os músculos estão relaxados. É durante o sono NREM que o sonambulismo costuma se manifestar. As duas fases se alternam durante a noite, e a duração de cada uma delas varia de acordo com um monte de fatores, desde a idade até a temperatura do quarto.

O que é dormir direitinho?

Um sono de qualidade deve te fazer despertar descansada e pronta para mais um dia de atividades. Perder uma noite de sono porque está preocupada com alguma coisa ou passar uma tarde sonolenta depois de ficar acordada até de madrugada vendo filmes são situações comuns e completamente normais. Quando essas situações começam a se tornar frequentes, elas podem ser chamadas de distúrbios do sono. Alguns deles são a insônia, o sonambulismo, o bruxismo, etc. Se você estiver tendo dificuldade para dormir ou se sentindo muito sonolenta mesmo depois de uma noite de sono, o ideal é procurar um médico. Existem diversas clínicas especializadas justamente na terapia do sono, mas se você não conhecer nenhuma na sua cidade, pode consultar um neurologista e ele deve lhe indicar a melhor especialidade para resolver seu problema.

Caso você não tenha certeza se o seu grau de sonolência durante o dia é normal ou não, este testezinho criado pelo Dr. Murray Johns serve para avaliar justamente isso e pode ser um ponto de partida, mas o mais importante é que você se observe para perceber se está tudo okay ou não!

Eu não durmo direitinho! E agora?

Se observe. Preste atenção aos seus horários: você costuma dormir e acordar sempre mais ou menos na mesma hora? Durante as férias é mais difícil manter essa rotina, mas ela é importante porque seu organismo começa a se preparar para dormir algum tempo antes de você ir para cama. Falando nisso, antes de deitar, o ideal é evitar alimentos e bebidas muito pesadas ou energéticos! Além disso, é bom largar o computador, o celular ou a TV mais ou menos uma hora antes, e evitar fazer exercícios físicos muito perto da hora de dormir.

Você também deve achar uma posição adequada para dormir. Para não ter dores ao acordar, os médicos aconselham deitar de lado, com um travesseiro que tenha a mesma altura que a distância entre sua cabeça e o colchão e outro entre as pernas. Assim, sua coluna fica completamente alinhada e você não força nenhum músculo. Outro jeito indicado é se deitar com a barriga para cima, com um travesseiro mais baixo sob a cabeça e outro sob os joelhos, também para alinhar a coluna. A pior posição, dizem, é de bruços! Quando você deita assim, é obrigada a virar a cabeça para o lado para conseguir respirar e acaba forçando as vértebras cervicais, o que leva a dores e torcicolos. Você pode ler mais sobre essas posições aqui.

Se o seu problema é o barulho, existe a possibilidade de comparar tampões de ouvido específicos para a hora de nanar. Agora, se prefere ouvir uma musiquinha, pode dar uma olhada nas playlists da tag #sleep do 8tracks e combiná-la com outras do seu interesse para achar a trilha sonora perfeita pro seu sono. Ou, ainda, deixar o RainyMood aberto e adormecer ouvindo o som da chuva, mesmo se não estiver chovendo!

Quando dormimos bem, nosso humor melhora, nossa energia aumenta e o nosso organismo agradece. Você tem mais dicas de como dormir melhor? Conta para gente! 😉

Beatriz Rodrigues
  • Colaboradora de Ciências
  • Colaboradora de Estilo
  • Colaboradora de Saúde

Bia Rodrigues ou só Bea tem 19 anos, é mineira, estudante de Farmácia e adora fatos inúteis. Se tivesse que comer só uma coisa pelo resto da vida, escolheria batata. Ainda não acredita que conheceu outras meninas da Capitolina. É 60% Corvinal e 40% Sonserina.

  • Flavia

    O pior é quando a pessoa só consegue dormir de bruços, acho que tenho que reaprender a dormir em outra posição rs

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos