17 de fevereiro de 2015 | Estudo, Vestibular e Profissão | Texto: | Ilustração: Dora Leoy
O lugar em que estudamos

Hoje na coluna de EVP resolvemos mostrar o lugar em que estudamos. Tem desde as tradicionais escrivaninhas a uma floresta, passando por redes e poltronas laranjas. Aqui na Capitolina nós acreditamos – e incentivamos – as mais diversas formas de ser feliz e isso também vale pra hora (nem sempre tão feliz) de estudar! Esse momento que exige foco e dedicação é bem mais agradável quando temos um cantinho que nos acolhe. Mas aí não tem regra, o que te inspira pode ser o som do mar ou o silêncio de uma biblioteca. Cada matéria pode funcionar melhor em um determinado ambiente, para certos estudos preciso de barulho e outros tenho que me isolar completamente. O legal é experimentar até descobrir o que funciona. Mas também é bom criar o seu lugar cheio de lembranças e coisinhas para te motivar. Você pode ter postêres com mensagens inspiradoras, fotos, desenhos, um monte de canetinha (pra relaxar), calendário, bloquinhos ou se manter minimalista com apenas o básico. A escolha é sua. Agora compartilhamos as nossas:

dé albu.jpg

lorena.jpg

10610683_10205091065868391_5494865325359593700_n.jpg

10991139_1560913807522167_8230194949792938705_n.jpg

10988686_10206017592865096_827608346_o.jpg

10390336_786646901415953_4966933527541259892_n.jpg

Fernanda Prieto.jpg

20150125_152433.jpg

E vocês, qual seu lugar preferido para estudar? Mostrem pra gente!

 

 

 

 

Taís Bravo
  • Colaboradora de Escola, Vestibular & Profissão
  • Colaboradora de Artes
  • Vlogger

Taís tem 25 anos e passa os dias entre livros, nas horas vagas dá lições sobre selfies para Kim Kardashian e aprende sobre o que foi e não quer ser com Hannah Horvath. Feminista deboísta, acredita no poder das sonecas, das migas e do mar acima de todas as coisas.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos