21 de março de 2015 | Relacionamentos & Sexo | Texto: | Ilustração: Gabriela Sakata
O mito do relacionamento sem cobranças
Ilustração da Gabriela Sakata

AVISO: contém spoilers do livro Garota exemplar.

Recentemente li esse livro, Garota exemplar (Gone Girl), um suspense sobre uma mulher que desaparece, e sobre o que seu marido faz diante disso. Ao longo do livro descobre-se que, na verdade, a protagonista finge seu próprio desaparecimento para dar uma lição no seu marido, que não estava agindo como ela gostaria dentro do relacionamento.

Além de todo o suspense, o livro levanta questões sobre o que é ideal em uma mulher e em um namoro. A protagonista fala sobre como ela estava interpretando o que chama de “Garota Legal”, quando conheceu o marido. A Garota Legal é uma mulher gata, que ama esportes, video games, arrotar, sexo e comer muito, mas ela é sempre magra. Além disso, a Garota Legal nunca fica com raiva, nunca reclama, nunca cobra, e seu parceiro vive num mundo de total liberdade, proporcionado por ela.

Esse ideal de relacionamentos, aliado à ideia estereotipada de que mulheres estão sempre atrás de compromisso – não estão, mas se estiverem também, qual é o grande problema? – faz com que muitas meninas sejam logo tachadas de loucas, que correm muito atrás de um romance, e, por isso, a ideia do relacionamento sem cobranças ganha uma cara ainda mais bonita.

No relacionamento sem cobranças, o cara pode combinar de ir no cinema com a mina e desistir sem avisar porque resolveu ir ao bar com os amigos, ele pode não querer nada sério, continuar ficando com a moça e dizer que um namoro seria ótimo “no plano das ideias”, mas que ele já tem muitas responsabilidades na vida, ou seja, no plano do dia-a-dia não ficaria tudo bem.

E, pasmem, esses exemplos são reais.

Não acredito que haja nada de intrinsecamente errado em resolver ir ao bar com os amigos em vez de ir ao cinema com a garota, ou então em não querer namorar alguém. O que acho é que não avisar que vai faltar e tratar o outro como um fardo é falta de consideração, de respeito e de compromisso.

A promessa do relacionamento sem cobranças então é, na verdade, a promessa do relacionamento sem consideração, sem respeito e sem compromisso. Infelizmente, isso significa dizer que não existe relação positiva nenhuma aí. Um namoro ou um relacionamento sério são marcados por determinadas regras, que são socialmente construídas, aceitas e disseminadas, mas modificáveis dentro de cada casal (ou trio, ou grupo, já que isso é flexível).  Você pode considerar essas regras boas ou ruins e se ater ou não a elas.

A questão não é essa.

A questão é que qualquer relacionamento — que não seja sobre conflito — é marcado por algum grau de compromisso com o outro. Seja um relacionamento com amigos, colega de turma, vizinhos ou parentes. Se você vive deixando seus amigos te esperando na porta do cinema, você pode deixar de ser amigo em muito pouco tempo. Relações requerem trabalho, requerem mandar um SMS pra sua mãe quando chegar na casa de fulano, requerem avisar se você não vai poder ir em algum lugar, requerem dar uma ligada pra avisar que chegou bem, requerem alguma responsabilidade e consideração em relação ao outro.

O relacionamento sem compromisso pressupõe necessariamente que compromisso é uma coisa ruim, que responsabilidades devem ser evitadas, inclusive quando são sobre outras pessoas. Entretanto, não é assim que laços se constroem. Relações são sobre dar, receber e retribuir.

Cada um tem que saber o quanto está a fim de investir em cada relação. Mas achar que é possível viver com outra pessoa – veja, viver qualquer coisa, um rolo, um namoro, uma amizade – sem ter nenhum compromisso é falta de consideração com a outra parte, é umbigation. Infelizmente, o namoro sem cobranças tem se tornado um mito, assim como a Garota Legal, um mito do relacionamento perfeito, em que ninguém briga, ninguém fica com raiva porque não existem vacilos. E, na verdade, os vacilos só estão sendo ignorados.

Criar as próprias regras do seu relacionamento é uma ideia muito legal. Decidir se vocês querem exclusividade ou não, se faz diferença pra vocês ou não que um ligue pro outro pra dizer o que vai fazer no final de semana, se querem conhecer família e amigos ou não. Mas sempre vai existir algum nível de cobranças e responsabilidades, porque ter um laço com outra pessoa significa ter algum carinho e consideração. Os primeiros implicam os segundos.

Então, o mito do relacionamento sem cobranças não passa de um mito porque é um relacionamento em que uma das partes está decepcionada com a outra, em que uma pessoa não liga, não está a fim de se esforçar. O mito é uma narrativa, cheia de fantasia de algo que poderia ser, mas a prática de um relacionamento requer esforço, requer vontade e responsabilidades. Estas não são ruins, simplesmente mostram que você se importa, e que esse se importar é um gostar que está para além do plano das ideias.

Brena O'Dwyer
  • Colaboradora de Relacionamentos & Sexo

Brena é uma jovem carioca de 22 anos que cada dia tem um pouco menos de certeza. Muda de opinião o tempo toda e falha miseravelmente na sua tentativa de dar sentido a si mesma e ao mundo em que vive. Gosta de ir ao cinema sozinha as quintas a noite e de ler vários livros ao mesmo tempo. Quase todas as segundas de sol pensa que preferia estar indo a praia, mas nunca vai aos domingos.

  • Pingback: O mito do relacionamento sem cobranças - Geledés()

  • Jordana

    Esse texto é maravilhoso! Nessa onda de amor-livre as pessoas perderam a noção, fazia tempo que eu esperava por um texto assim.

  • Thaisa Camata

    Adorei seu texto, Brena.

  • http://about.me/alessioesteves/ Alessio Esteves

    :)

  • Márcia Mesquita

    MUITO bom o texto!

  • Cristina

    Adorei o texto. É exatamente sim! Obrigada!

  • P.M.

    Para mim cobrança é fruto de desequilíbrio, e não consequência de compromisso. Dá pra ter um compromisso e se os envolvidos respeitarem, levar numa boa ~sem brigar, sem cobrar.

    • Nádia Camuça

      cobrança seria o que? se o que vc acha q é cobrança é pq vc n pensa em compromisso. cobrança seria o que?

    • Carolina Simionato

      Para mim descompromisso demais pode ser fruto de um desequilíbrio, tanto quanto cobrança demais. Mas desde quando esperar que alguém te ligue se vocês combinaram de ir algum lugar e esta pessoa desistiu de ir é tanta cobrança assim?? E não existe compromisso verdadeiro sem cobrança, o mínimo que seja. Cobrança não é ficar no pé da pessoa o dia inteiro, mas deixar claro que algumas coisas são esperadas dela assim como algumas coisas são esperadas de você. Se é esperado que vocês sejam exclusivos, então isso é cobrado de ambos. Se é esperado que vocês não precisem deixar suas andanças sempre claras um para o outro, então há uma cobrança para que vocês não fiquem se cobrando quanto a isso.

  • https://nyankkosensei.wordpress.com/ Julianatsume

    Ah, sim hj em dia em um relacionamento não pode ter cobranças ou concessões senão é o mesmo que “sufocar o outro “, por favor né? Tem que haver uma troca, sempre. E claro que na maioria das vezes quem tem que amenizar tudo são as mulheres, senão viram as chatas de plantão. E eu adoro Garota Exemplar (apesar de sérias reservas que tenho com ele), é o livro que te deixa pensando dias e dias :)

  • Talles Azigon

    Alguns pontos a considerar, primeira questão é que todo relacionamento, que implicitamente ou não, é uma espécie de acordo, fato é, socialmente, algumas pessoas, por causa de diversos esteriótipos e preconceitos, saem lesados nesses acordos. No que tange a esse assunto, compromisso, fica bem anuviado, eu particularmente, não quero me relacionar com uma extensão da minha mãe, uma pessoa para gerenciar minha agenda, um depositário das minhas satisfações, do mesmo modo que não quero ser esse depositário, do mesmo modo não quero conviver com uma nuvem, distante, e aparentemente sem substância.

    Precisamos pensar que se relacionar não é preencher vazios, aquele que busca no outro isso, desmorona no abismo do engano, e olha, quantos de nós não temos desmoronados nesse abismo. Lógico, que isso tudo é quase um campo ideal, mas esse ideal pode ser aproximado da vida da gente, dependendo da nossa vontade.

    Controle não é amor, ausência também não, nesse terreno movediço dos relacionamento, nossa dificuldade maior é encontrar o equilíbrio e fugir das receitas.

  • Pingback: Propagandas que amamos - só que não - Capitolina()

  • Pingback: a diferença entre relações livres e consumir pessoas |()

  • Lívia Moana

    É criamos homens alheios e mulheres permissivas pode até ter um relacionamento mas creio ser doentio!
    Não vai durar saudável!

  • Pingback: Você não é mãe dele - Capitolina()

  • Pingback: 3 Maneiras De Manter Uma Comunicação Saudável No Seu Relacionamento | mode.fica | Um novo jeito de comunicar moda e estilo de vida.()

  • Sarah

    Finalmente alguém falou sobre isso! <3 Não aguento mais que os caras (enfim, as pessoas) achem que isso existe. Porra, não existe. Qualquer relacionamento, em menor ou maior grau, exige responsabilidade e compromisso. Parabéns, vocês são demais! <3

  • Carol assad

    Olá, adorei o post. Quando se coloca esse tema temos alguns fatores a se pensar.
    Se o cara que vc está tem esse comportamento com vc (esquecer de vc no cinema e ir no bar com os amigos), será mesmo que vale a pena ficar com alguem assim. Não se trata de ser a Garota perfeita mas sim de sentimentos verdadeiros. Um casal que se ama de verdade se conversa, se fala, iria te falar se nao podem ir no cinema outro dia pois os amigos estão combinando de ir beber. Ai que entra se vc eh legal vc não vai ter problema em trocar sem xingar ele de tudo q sabe e ainda esperar que te encontre feliz.hoje em dia se falta muito sentimento, quando temos amor o compromisso flui naturalmente, claro que podem ter pisadas de bola mas isso se conserta junto. Ficar com alguem que me trate desse jeito que eu tenha que cobrar atencão, cobrar o tempo todo e lembrar q temos um compromisso,prefiro ficar sozinha.

  • Carolina Santos Pinho

    Texto fantástico. Um dos melhores que li na net nos últimos tempos. Me deu curiosidade de ler o livro. Porque no filme o assunto é abordado de outra forma.
    Parabéns!!!

  • http://gabrielzuh.blogspot.com.br/ Gabriel Bonini Travagli

    Relacionamento envolve segura, então se os relacionados não possuem segurança própria, consequentemente, eles precisam ter alguma, sendo assim: fora deles. Há uma certa confusão e generalização quando citado “relacionamento”, pois nem todas as formas de interação são “relacionamento”; também existe a Relação. Portanto, há uma diferença entre Relacionamento e Relação. Quando você cria (ou desenvolve) um Relacionamento, consequentemente, você necessita de compromissos e responsabilidades; Na relação não. A relação é a simples troca de experiência através dos nossos sentidos e do nosso conhecimento, cabendo a cada ser ter suas condições e o seu modo de interação.

  • Pingback: Você não é mãe dele | Além da Mídia()

  • Mari

    Quanto drama, moça!

  • Ricardo Marinho

    Ai, Brena O’ Dwyer. Que texto mais delicioso! Muito, muito bom! O relacionamento consiste em uma troca e é necessário esperar o tempo do outro. Você escolhe estar com o outro, e isso requer cuidados.. Cuidado com o outro, cuidado com a relação. E toda relação está em constante construção; por isso faz se necessário o cuidado, até para à própria manutenção. Eu sempre fui um cara que cobrava muito; na verdade, sempre fui muito exigente com meu companheiro. E isso me fez perder coisas importantes, pessoas importantes. Hoje eu tento ao máximo não mais cobrar..E quando é necessário mostrar p alguém onde tá vacilando, as vezes tento até ignorar. Isso, as vezes, me faz mal. Mas tento ao máximo disfarçar. Mas percebo que o dialogo é primordial e requer um cuidado de ambos para reconsiderar, rever onde tá falhando. E não encarar como algo tão negativo. Sou grato pelo texto, espero mais!! ^^

  • Ricardo Marinho

    Aplausossssss!!! Seu textinho foi incrível!!!

  • Cadu Nickel

    Muito bom o texto, Brena!!
    Você está de parabéns.

    Quando o relacionamento está na fase de namoro é tudo muito simples. Eu costumo ver que essa geração está cada vez mais preocupada com o próprio umbigo, do que com o que uma outra vai pensar ou sentir. É só pensar no funcionamento do App Tinder. Estão transformando os relacionamentos em algo descartável. Se não der certo, é só dar um like em outra pessoa e boa.

    Eu não sou tão velho. Tenho 37 anos. Mas hoj não vejo mais aquela coisa gostosa do frio na barriga antes de ir no cinema ou em um barzinho com a pretendente pela primeira vez. Não tem mais aquela excitação da descoberta do corpo da namorada (a final os nudes e snapchats estão por ai). A tecnologia “deserotizou” os relacionamentos e as pessoas tornaram-se descartáveis.

    Ou seja, não importa se você é legal ou ideal. Você vai ser trocado, ou deixado de lado mais cedo ou mais tarde, por algo com certeza, bem menos interessante que você!!

  • Steph Tohrment

    Texto excelente! Tenho um amigo que infelizmente passa por tudo isso com a nova namorada dele e vive se gabando porque em X meses nunca tiveram uma discussão, mas todas as vezes que o encontro ele está triste por algo que ela fez. Ele só está tentando ser um Garoto Legal, infelizmente.
    Esse é um assunto bastante sério, as pessoas precisam levar os sentimentos alheios em consideração. Ninguém é obrigado a ser compromissado e ter assiduidade, mas lide com o fato de que as pessoas vão se afastar. Se quer viver sem compromisso não há problema algum mas, por favor, fique sozinho antes de magoar profundamente alguém que gosta de você.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos