10 de dezembro de 2014 | Tech & Games | Texto: | Ilustração:
Playlist: Games

Ilustração de capa por Dora Leroy

O que seria dos games sem suas trilhas sonoras? Tem muita gente que mal lembra do que almoçou hoje, mas que guarda com carinho a música de um jogo que foi querido na infância. Ou que divide espaço no celular entre a Lana Del Rey e alguma música bonita que ouviu em um game. E qual é o problema, afinal? Coisa boa é coisa boa.

São muitas canções incríveis, mas listamos aqui algumas das que gostamos mais. Lembrando que isto é uma playlist, e não necessariamente um “top melhores”. Relaxa aí e aproveita para nos dizer também: quais são as suas favoritas?

Videogame Music from capitolina on 8tracks Radio.

1. Still Alive – Portal

De fofa e doce essa música não tem nada! Nem mesmo depois de passar todo o game tentando te matar das formas óbvias possíveis, GLaDOS abandona a falsa singeleza. Ela canta uma musiquinha nos créditos finais pra você para deixar claro que está muito bem viva, sim, obrigada, e que assim continuará mesmo depois de você mesma bater as botas. Uma graça.

2. Sticker Brush Symphony – Donkey Kong Country 2

Nostálgica. Com seu ritmo doce e notas ao mesmo tempo modernas e retrô, “Sticker Brush” traz pros nossos ouvidos e corações a melancolia de um fim de tarde com gorilas se lançando por aí em barris. Classy.

3. Reset (Thank You) – Okami

Toda a leveza do lindo e saudoso Okami em uma música. Tem flautinha transversal, tem shamisen, tem amor. No game controlamos a loba/deusa do sol Amaterasu da mitologia nipônica em uma história cheia de folclore.

4. Gusty Garden – Super Mario Galaxy

Esta música era apenas uma dentre toda uma excelente coleção que é a trilha de Super Mario Galaxy, mas acabou se tornando algo como a música tema extraoficial da série. Épica e lúdica, coisa boa é assim.

5. Hikari – Kingdom Hearts

Nunca deixe alguém te dizer que Disney e Final Fantasy não deveriam se misturar: pelo menos musicalmente, isso não poderia ser mais mentiroso. Foi um dos primeiros jogos a chamar celebridades para interpretar suas canções.

6. Frog’s Theme – Chrono Trigger

Ok, ok. A música tema é show e a lenta “Wind Scene” evoca all those feelz, mas essa é Chrono Trigger resumidinho. Sem contar que é a tema de um dos personagens mais bacanas do RPG.

7. Trainer Red – Pokémon Gold & Silver

Aí que você finalmente chegava ao cobiçado Platô Índigo e estava pronta para enfrentar a lendária Elite dos Quatro. Você derrotava um por um, até que te resta apenas o último desafiante, o maior treinador Pokémon de todos os tempos: Red, seu personagem nos jogos anteriores da série. Seu coração quase parava e não ajudava muito que a música de batalha fosse tão freakingly épica.

8. Dr. Willy Stage – Mega Man 2

Uma das músicas mais amadas da franquia, “Dr. Willy Stage” já ganhou diversas homenagens pela internet. É outra que entra na categoria “chorando de nostalgia”: energética e intensa, dá vontade de gritar “okkusenman” junto com o refrão.

9. UN Owen was Her – Touhou Project

O Touhou Project é uma série de games bullet-hell que traz, no lugar de naves espaciais, bruxinhas voando e atirando magias em vassouras. E pode realmente infernal, mesmo em seus níveis mais fáceis. A frenética “UN Owen was Her” (que foi um meme bizarríssimo uns anos atrás), desta forma, combina perfeitamente com o frenesi enlouquecido da série e, mais em especial, com a violência fofolucha da “chefona” que vem acompanhada da música.

10. Setting Sail, Coming Home – Bastion

Toda a trilha de Bastion é composta com esmero, e parte importante da experiência vem de ouvir as batidas acústicas compostas por Darren Korb e da narração caprichada. “Setting Sale, Coming Home”, entretanto, é especial porque une dois personagens em uma única narrativa, amarrando todas as pontas num poderoso ato final.

11. Dire, Dire Docks – Super Mario 64

Numa época em que os videogames ainda engatinhavam na geração de cenários tridimensionais exploráveis, Koji Kondo e a Nintendo faziam bonito criando trilhas memoráveis para seus levels. “Dire, Dire Docks” é minha favorita por conseguir transmitir tão bem a calmaria e beleza de uma fase aquática.

12. Horse Stepping – Hotline Miami

É difícil escolher apenas uma música de toda a trilha de Hotline Miami. Misturando eletro e sintetizadores com certa indolência que remete aos coqueiros da cidade praiana do título, “Horse Stepping” resume a experiência psicodélica e um tanto perturbadora que é jogar Hotline Miami.  

13. Continuum – Fez

O atmosférico Fez expressa muito bem, através de mecânicas, a mensagem que deseja passar. Sua trilha sonora não poderia ser diferente. Os compositores por trás dessa trilha fantástica têm referências que vão da psicodelia de Pink Floyd ao chiptune e ao impressionismo musical. “Continuum”, por exemplo, é uma reinterpretação da “Prelúdio em Mi menor (op.28 nº4)” de Chopin, mais suja, bizarra e, obviamente, digital.

14.   Game Title Theme – The Legend of Zelda: Ocarina of Time

É meio idiota dizer que uma música chamada “Game Title Theme” (valeu, Nintendo) é tão linda, mas ela estava ali, antes mesmo do jogo começar, para colocar você no clima para o que viria a seguir. Tudo muito melódico e harmonioso, seguindo o nascer do sol de Hyrule.

15.   Aurora’s Theme – Child of Light

Um dos jogos mais recentes de nossa lista, Child of Light tem uma linda trilha sonora que remete aos contos de fada e um visual digno de livros pop-up infantis. Pianos e violinos compõem o tema da protagonista, Aurora, que fica na cabeça por dias – mas ninguém sofre por causa disso.

16.   For River – To the Moon

Confissão: eu choro só de ver o trailer de To the Moon. Nesse jogo você controla dois doutores que trabalham numa empresa que “concede desejos” a pacientes terminais, alterando suas memórias de vida. Nesse caso em especial, trata-se da memória de um idoso que nunca realizou o sonho de ir à lua, sempre protelado por causa de questões mais imediatas da vida. “For River” é uma canção melancólica sobre sonhos perdidos e a esperança de realizá-los, tocada inteiramente em piano. E eu tô chorando de novo.

17.  Will the Circle be Unbroken – Bioshock Infinite

Existe uma penca de estar-eggs musicais prontinhos para serem desembrulhados em Bioshock Infinite, mas poucas músicas se comunicam de forma tão perfeita com seu roteiro como esta. Tanto a versão gospel quanto a cantada pelos intérpretes dos protagonistas são belíssimas, mas selecionamos a segunda por sua crueza ressonar tão bem com a busca de redenção que passa por toda a história.

18. Splash of Color – Flower

Essa provavelmente não é a música mais marcante ou famosa do excelente Flower, mas se você quer entender a sensação de ser uma flor ao vento tornando o mundo um lugar mais belo e colorido, a canção melancólica e paciente de Vincent Diamond é o mais longe aonde você vai chegar.

19. Opened Path – Shadow of the Colossus

Shadow of the Colossus é um dos maiores clássicos do PS2 e não faltam boas razões para isso. Toda a trilha transmite um senso de heroísmo fantástico que vai ficando cada vez mais questionável conforme o jogo vai se aproximando de seu fim. Escolhemos esta por ser uma das mais emblemáticas: vai me dizer que você não consegue se imaginar escalando um monstro gigantesco munida apenas de uma espadinha? Vai por mim.

20. Tallon Overworld – Metroid Prime

A um só tempo tribal e futurista, é o que você esperaria ouvir se fosse uma caçadora de recompensas espacial explorando um planetinha tropical. (Rimou!) Dá para ouvir por horas, se deixar.

21. On to Grass Town – Cave Story

Cave Story é um belo exemplo de game independente que conquistou o público quase que exclusivamente por sua qualidade e carisma. A trilha sonora também não faz feio, dando uma vibe dançante e marcante ao projeto.

22. Main Theme  – Metal Gear Solid 2

A música possui tantos momentos diversos que parece até uma colagem de canções diferentes. Isso funciona, porém, muito bem, e a trilha caminha de “filme de ação” para “calmaria entre tempestades” em questão de segundos.

23. Suicide Mission – Mass Effect 2

Num dos momentos mais frenéticos de toda a trilogia somos presenteados com uma música que calibra intensidade heroica com futurismo. Os sintetizadores dão um toque modernoso alien enquanto a orquestra crescente mantém o coro em ritmo de marcha. Não dá para entrar numa missão suicida com menos que isso.

24.       Another World – Ni no Kuni

O fofíssimo Ni no Kuni trouxe pros videogames a arte e o carisma do Studio Ghibli (A Viagem de Chihiro, Castelo Animado). Essa música tenta traduzir a sensação de ser levado a um mundo mágico impressionante e multicolorido. E consegue, claro.       

25.   Apotheosis – Journey

Journey é um jogo mágico e boa parte de sua magia vem da sincronia perfeita entre gameplay, arte e trilha sonora. Depois da jornada, somos recompensados com esta que deve ser uma das mais bonitas músicas de videogame já criadas. Aí fica difícil não chorar.

Menções honrosas: músicas interativas

Afinal, estamos falando de videogames! Algumas músicas da nossa lista não podem ser simplesmente colocadas em trilha estática sem perder parte de seu apelo. Veja algumas logo abaixo, jogadas por outras pessoas:

Observations on the Beautiful and the Sublime – Dyad

Para quem observa de fora, Dyad pode parecer um jogo estranho. Quem está dentro também. Toda a psicodelia de suas cores e luzes, porém, esconde uma mecânica simples e ridiculamente imersiva. Na música abaixo você consegue reparar com a melodia torna-se mais óbvia conforme o jogador faz mais pontos? E as batidas assustadoras quando está prestes a perder? É tão intenso quanto parece.

Atenção: o vídeo abaixo pode não ser recomendado para quem tenha histórico de epilepsia. 

Cities – Sound Shapes

Como o próprio título sugere, as fases do musical Sound Shapes se constroem em torna de músicas (todas ótimas, por sinal). Aqui é necessário ter, ao mesmo tempo, coordenação motora e noção de ritmo pois os levels mudam de acordo com a música. E mesmo se o jogador errar não tem problema: seus sons se integram à música perfeitamente. É como participar de um clipe interativo.

Too late to love you – Kentucky Route Zero

Uma das minhas favoritas da lista. Kentucky Route Zero é um dos jogos mais brilhantes e singulares dessa geração, e nos apresenta uma versão interativo do realismo mágico. Numa das suas melhores sequências, podemos escolher a letra da música cantada para uma pequena plateia numa lanchonete de beira de estrada. Embora o jogo seja sobre alguns personagens, é difícil não transformar essa história em nossa própria e perceber que, no fim das contas, ela pode estar falando com algo muito profundo dentro de nós mesmos.

Vanessa Raposo
  • Coordenadora de Tech & Games

Vanessa é carioca, mas aos 25 anos sente que o mundo é grande demais para se pertencer a só um lugar. Por isso, passa boa parte do tempo em paisagens imaginárias e planejando suas próximas viagens - que podem ou não acontecer (“As passagens pra Plutão ainda estão disponíveis, moço?”). Gosta de filmes da Disney e de musicais mais do que dizem ser aconselhável para sua idade. Quando não está pseudofilosofando sobre o papel dos videogames na cultura pop, pode ser encontrada debruçada sobre seu laptop, arrancando os cabelos por alguma história que cisma em não querer ser escrita. 

  • Fábio Galdino

    Vanessa, que artigo maravilhoso. Parabéns, eu amei a playlist. Coloquei várias vezes durante o dia para ouvir enquanto lia matérias. Seu conhecimento sobre jogos me dá inveja. Sem contar que dá um tapa na cara desses gamers machões #gamergate. Parabéns 🙂

    • http://criandomundos.wordpress.com/ Vanessa Raposo

      Valeu pelas palavras, Fábio o/

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos