7 de outubro de 2017 | Ano 4, Anos | Texto: | Ilustração:
Sensações: #capitomigas
Das capitomigas do @atelie_florescer: "Por várias vezes, nos é descrito o estonteante sensação de apaixonar-se, onde nascem e habitam milhares de borboletas no estômago. Mas o verdadeiro e primeiro amor surge ao apaixonar-se por si mesma, ai então tudo que vê são flores, as borboletas vêm lhe visitar, mas o mais belo é o florescer do amor real, e então torna-se jardim".

Das capitomigas do @atelie_florescer: “Por várias vezes, nos é descrito o estonteante sensação de apaixonar-se, onde nascem e habitam milhares de borboletas no estômago. Mas o verdadeiro e primeiro amor surge ao apaixonar-se por si mesma, ai então tudo que vê são flores, as borboletas vêm lhe visitar, mas o mais belo é o florescer do amor real, e então torna-se jardim”.

O tema de setembro foi sensações! Pedimos as leitoras enviarem ilustrações, poemas, parágrafos representando uma sensação. Adoramos receber respostas de garotas de várias cidades, em diferentes formatos. O tema de Outubro é Infância! Nos mande uma foto, ilustração, parágrafo para ilustrar uma memória da infância Aguardamos ansiosas!

Envie tua contribuição para contato@revistacapitolina.com.br ou use a #capitomigas

Amamos vocês, leitoras <3

Márcia Gomes

Márcia Gomes

Nuances do meu corpo

Rugo Livre Ventre afora

Não afogo meu corpo

Num copo de leite barato

Meu cheiro forte

Desagua na Lua Vermelha

Fase de caça Meretriz

Meu ventre Só carrega

O calor da semente que escolhi

Recuso a receita matrimonial

A boca calada, a pele maltratada

Caminho contra a fragilidadade que a cruz me deu

Metamorfoseio em sussurros de sensualidade

Coloco minha melhor armadura

Suspiro despida porque posso

Minha casa é áspera!

Implacável, firme, solida

Sou Jurema, fogo , amante

Desnuda de pudor

Tão pagã, Tão sereia

 

Fernanda Marques Carinci

Thalyta Souza

Thalyta Souza

 

Tags:
Rebecca Raia
  • Coordenadora de Artes
  • Colaboradora de Relacionamentos & Sexo
  • Coordenadora Editorial

Rebecca Raia é uma das co-fundadoras da Revista Capitolina. Seu emprego dos sonhos seria viajar o mundo visitando todos museus possíveis e escrevendo a respeito. Ela gosta de séries de TV feita para adolescentes e de aconselhar desconhecidos sobre questões afetivas.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos