1 de maio de 2017 | Ano 4, Edição #33 | Texto: e | Ilustração: Ana Maria Sena
Serei minha mãe no futuro?
O_momento_deixamos_de_ser_crianças_e_nos_tornamos_adolescentes2_AnaMariaSena

O dia das mães está chegando, e adivinhem só?

Depois de anos implicando com nossas mães, achando que elas exageram nos cuidados ou no que nos pedem quando nosso quarto está uma bagunça, nós começamos a perceber que estamos ficando cada dia mais parecidas com elas. Seja pela aparência, pelo cuidado com as bagunças na casa, ou pelo guarda-chuva e o casaquinho sempre na mochila.

Se ainda não aconteceu com você, acredite, pode ser que aconteça a qualquer segundo. Alguma característica de sua mãe pode começar a tomar conta de você…  Pensando nisso, trouxemos algumas fotos de capitolinas com suas mães. Saquem só!

1) Tem filhas que puxam o charme todinho da mãe. Digam a verdade: se vissem as duas lado a lado não adivinhariam que são mães e filhas?

1

 

2) Alguns dirão que a Camila só tirou essa foto de cabelo curtinho para ficar praticamente idêntica à mãe dela no passado! Mas e a semelhança desse olhar, como explicar?

2

 

3) Mãe e filha? Deusas gregas! Diríamos que são irmãs. E gêmeas!!!! Elas se parecem até no estilo!

3

4) E essa foto da Isabella? Três gerações juntinhas! Ou seriam quatro amigas e um jeans viajante? Que avó e mãe gatonas da p****!!!! Além desse catiorinho fofinho!

4
5) Tem aquelas que parecem com a mãe na elegância. E tiram fotos lindas depois de terem dançado uma valsa juntas na formatura. É o caso de Naomi. <3

5
6) Fala se não é o mesmo jeitinho de corpo pra posar pra foto? A moda capilar muda (graças às deusas!), a moda dos biquínis também, mas o jeitinho continua o mesmo!!

6

7) A verdade é que alguns tipos de narizes passam de geração para geração. Pelo amor das deusas, vai dizer que os narizes de avó, mãe e filha não são iguais?!?!

7

Tags: , , ,
Fernanda Kalianny
  • Colaboradora de Relacionamentos & Sexo
  • Colaboradora de Se liga
  • Coordenadora de Poéticas

Fernanda Kalianny Martins Sousa , 26 anos, fez Ciências Sociais na USP e cursa doutoraddo em Ciências Sociais na Unicamp. Adora ler sobre aquilo que informa e complementa sua formação enquanto ser humano, então sua área de estudo tem tudo a ver com aquilo que sente ou é (estuda raça, gênero e sexualidade). Escreve poemas e acredita que sempre será "amor da cabeça aos pés". O coração, intensidade e impulsividade controlam quase todas as ações. Ama apaixonadamente e vive as paixões da forma mais cheia de amor possível. Antes que sufoque com o que fica para dentro, coloca tudo no papel.

Izabela Nalio Ramos
  • Colaboradora de Sociedade

Izabela, paulistana que às vezes queria voar por aí, mas tenho um Sol em câncer que fala alto. Já quis ser cantora, sereia, nadadora, jornalista e professora. Hoje, sou cientista social e antropóloga, e nos últimos anos trabalhei como pesquisadora em temas que amo: manifestações culturais, juventude, feminismos e relações raciais, de classe, gênero e sexualidade, tentando misturar Brasil com Egito e aproximar vários interesses. Sou daquelas que acredita que educação e arte/cultura podem ser meios de transformação, e que fica com brilhinho nos olhos quando vê isso rolando. Também adoro descobrir músicas, receitas de comida gostosa, e ver memes, gifs e vídeos que a gente ama e respeita.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos