5 de julho de 2014 | Relacionamentos & Sexo | Texto: | Ilustração:
Sobre ficar sozinha
Ilustração de Clara Browne
Ilustração de Clara Browne

Ilustração de Clara Browne

Você já reparou que passamos boa parte do nosso tempo com outras pessoas? No colégio, na faculdade, no trabalho, em casa com a família, na rua com os amigos, estamos quase sempre acompanhadas. Aí, um dia, as coisas mudam um pouco: você sai da casa dos pais, seu relacionamento amoroso termina, sua melhor amiga se muda para outra cidade, a pessoa com quem você mora viaja, e você se depara com… você mesma. Só você, ali, sem companhia, seja de forma mais momentânea (um fim de semana sem programas) ou duradoura (um pedaço da tua rotina que envolvia outra pessoa e que agora não envolve mais).

Ficar sozinha pode ser meio estranho e assustador, especialmente para quem está habituada com uma vida social movimentada, com uma casa cheia ou com mil ocupações. Mas, como quase tudo na vida, a solução pra essa sensação é só uma questão de perspectiva: ficar sozinha pode, também, ser divertido, relaxante e libertador.

Eu, pessoalmente, adoro ficar sozinha. Moro com minha mãe e minha irmã, trabalho, tenho uma melhor amiga que vejo quase todos os dias, estou num relacionamento estável e duradouro, e adoro estar com todas essas pessoas que importam para mim, mas, mesmo assim, a sensação de ficar sozinha e poder curtir minha própria companhia costuma ser bem boa.

Sabe qual é meu segredo? Tomar consciência de que estou sozinha e tentar estar presente no momento, em vez de só me distrair até aparecer alguém que possa me fazer companhia. Ou seja, em vez de pensar “ah, que droga, é sábado à noite e não tem ninguém pra sair comigo”, o negócio é pensar “opa, toda uma noite de sábado que eu posso preencher do jeito que eu mesma bem entender”. E, quando eu digo “do jeito que eu mesma bem entender”, é isso mesmo: você pode fazer QUALQUER COISA. Não é mágico?

Eu sei, eu sei, pensar que você pode fazer qualquer coisa que quiser é incrível mas também um pouco difícil, porque existem TANTAS opções! Por isso, fiz uma lista (com a ajuda de um monte de gente legal no Facebook e no Twitter) de ideias legais para você começar a se curtir sem a ajuda de ninguém:

1. Ser criativa: vale escrever, desenhar, costurar, fotografar, fazer projetos da nossa coluna de FVM, compor, qualquer coisa para libertar a artista dentro de você. Não tem ninguém por perto, então você não precisa se preocupar com alguém ver aquilo e não gostar, e você pode fazer tudo do jeito que te deixar o mais confortável possível, mesmo que seja de pijama, ouvindo metal bem alto, sentada na pia da cozinha.

2. Curtir seu corpo: dançar muito empolgada ouvindo sua música preferida, ficar se encarando no espelho e pensando em como você é linda, se masturbar com tranquilidade sem medo de fazer barulho, aprender coreografias com tutoriais do youtube, malhar, tirar selfies, toda e qualquer coisa que vá te reconectar com seu corpo é legal.

3. Descansar: porque, sejamos honestas, o silêncio e a calma de uma casa vazia são perfeitos para uma tarde de descanso, seja com um longo cochilo, um banho de demorado, uma leitura gostosa, um filme bobo na televisão ou uma série que você está há tempos querendo começar a ver.

4. Brincar de spa: ter tempo (e dinheiro) pra ir ao salão não é fácil. Mas aí surge uma manhã de domingo que parece ideal para fazer as unhas, passar uns cremes verdes na cara, fazer penteados e makes diferentes, experimentar umas combinações novas de roupas no armário, e quem somos nós pra resistir a essa possibilidade?

5. Sair de casa: sim, isso parece bem mais difícil do que as outras opções. Mas, acredite, é possível! Sugiro que você comece saindo acompanhada de um iPod e/ou um livro e/ou uma revista, para ser mais fácil, mas é interessante se desafiar e sair só você de cara pro mundo. A saída pode ser pra dar uma caminhada, pra andar de bicicleta, pra ir ver um filme que você tá doida pra ver mas ninguém quer ver com você, pra comer no teu restaurante favorito, pra sentar num banco da praça e observar as pessoas que passam, pra passear numa livraria ou em outra loja de tua preferência, pra pegar sol na praia, pra estudar na biblioteca, pra ver uma exposição ou para o que você estiver a fim de fazer mas não tem coragem de fazer sem companhia.

6. Parar e pensar: senta num lugar confortável, respira fundo, e pensa na vida; naquilo que tá te estressando ultimamente, naquelas questões enormes e filosóficas que te ocorrem de vez em quando, nos teus planos pro futuro. Se você está sozinha por uma razão que te desagrada (o fim de um namoro, por exemplo), é ok aproveitar o tempo pra mergulhar na fossa um pouco, chorar sem vergonha e processar o que está sentindo.

7. Se divertir muito: porque isso é o mais importante. Outras opções incluem ver clipes de boybands, jogar videogame, sentar no chão e ler revistas, passar horas no Pinterest, cantar karaoke no Youtube, cozinhar algo muito delicioso e mirabolante e comer devagar e com prazer, cantar beeeeem alto, pesquisar e estudar sobre algo que sempre quis aprender (tipo uma língua estrangeira) e ver álbuns de fotos antigas.

E você? Qual é a sua forma favorita de passar tempo sozinha? Conta pra gente nos comentários!

Sofia Soter
  • Cofundadora
  • Ex-editora Geral

Sofia tem 25 anos, mora no Rio de Janeiro e se formou em Relações Internacionais. É escritora, revisora e tradutora, construindo passo a passo seu próprio império editorial megalomaníaco. Está convencida de que é uma princesa, se inspira mais do que devia em Gossip Girl, e tem dificuldade para diferenciar ficção e realidade. Tem igual aversão a segredos, frustração, injustiça e injeções. É 50% Lufa-Lufa e 50% Sonserina.

  • Luísa

    são raras as vezes que fico sozinha então, quando todos saem de casa faço duas coisas: aproveito o silêncio e leio, depois me canso do silêncio e canto bem alto junto as minhas cantoras favoritas haha

    • http://biadrill.tumblr.com/ Beatriz Trevisan

      Nossa tô muito feliz que cê compartilhou isso!! Hahaha eu também adoro ficar cantando quando tô sozinha depois de aproveitar o silêncio, por sempre ter gente em casa, me identifiquei muito!

  • Gabriela

    <3 ficar sozinha <3
    <3 esse texto <3

  • http://mbisonti.tumblr.com/ Mariana Bisonti

    Passei um fim de semana todo sozinha, num momento em que o que eu menos queria era ser deixada com meus próprios pensamentos (sim, fossa), mas era o que eu mais precisava. E foi incrível e muito importante descobrir o prazer da minha própria companhia. Como dizem, apaixone-se por você mesma primeiro.

  • Pingback: Ter namorado não é sinônimo de ser feliz | Capitolina()

  • Pingback: Não consigo fazer amigos, e agora? | Capitolina()

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos