27 de fevereiro de 2015 | Culinária & FVM | Texto: | Ilustração:
Sororidade na cozinha e + 3 receitas pra fazer com as amigas

Havia um texto planejado na minha cabeça, mas depois de tudo que já saiu nesta edição  – que, cá entre nós, está uma das mais lindas de todas – aconteceu que muito do que eu pensei em falar já havia sido falado (como não sei se todas vocês chegaram a ler tudo o que eu queria dizer, o texto de hoje está CHEIO de links).Então decidi mudar o foco, ainda que não muito.

Sabe aquela frase típica do patriarcado: “lugar de mulher é na cozinha”? Claro que eu não concordo com ela, pois ela vem da noção de que mulher deve ser dona de casa e servir o lar e todo esse assunto sobre o qual nós  já nos posicionamos DIVERSAS vezes. Mas, ainda sim, de alguma forma, essa frase até parece uma realidade na minha vida. Felizmente, sob uma ótica bem diferente.

Minha família tem o hábito de se reunir todo o domingo na casa dos meus avós. Nem sempre as dinâmicas familiares estão de acordo com as nossas crenças e, assim, lá é comum que as pessoas se dividam por gênero, e as mulheres acabem juntas na cozinha.  Independentemente de onde as mulheres se juntam, nós, unidas, frequentemente fazemos coisas boas. Assim, pra mim a cozinha acaba sendo sim um lugar cheio de mulheres; não por opressão, e sim para reunião. Ou, melhor dizendo, para comunhão.

Muitos dos momentos agradáveis que passei junto de familiares ou amigas foram na cozinha, quase sempre cozinhando. Alguns finais de semana com a minha mãe, um ano novo com meu pai, diversas tardes com a minha avó ou minha irmã, nos feriados em casas desconhecidas com amigas e até na minha própria casa -agora que não moro mais com meus pais- estar cozinhando acaba sendo um ótimo momento pra conversar com as migas de casa.

Mas eu nem sempre soube desse “poder mágico” que a cozinha tem e, entre os 9 e 16 anos, o lugar das migas era a sala, mais precisamente em festas do pijama. Geralmente as atividades principais eram: filmes, pizza e guloseimas, além de verdade ou desafio e as fofocas da madrugada. Mas eu nunca pensava em levar a festa pra cozinha. Deveria. Afinal, se vamos comer guloseimas, por que não cozinhá-las nós todas juntas e ver a magia desse cômodo acontecer.

Hoje, então, trazemos pra vocês, juntas – eu, Nathália e Babi, três receitas rápidas e deliciosas pra vocês cozinharem com as amigas e fazerem da confraternização em torno da comida mais uma forma de se empoderar  e se divertir.

Começamos com o salgado:

PIZZA DE PÃO – Por Barbara Fernandes

Pizza é uma das melhores invenções do mundo! Eu amo, mas como sou vegana tenho uma baita dificuldade de achar pizza pronta, então acabo sempre fazendo em casa. O problema é que eu tenho preguiça de fazer a massa, então resolvi modificar uma receita que eu fazia com o meu pai quando era criança e fazer uma pizza de pão de forma na versão vegan e pra quantas pessoas você quiser!

O que precisa:

-pão de forma
-requeisoy (foi o que eu usei, mas você pode usar qualquer coisas no mundo pra rechear a sua pizza)
-molho de tomate
-tomate
-temperos (eu usei chimichurri, mas pode ser orégano, tomilho, manjericão etc)
FOTO (1)

1. Colocar o molho, o requeisoy, o tomate e o tempero. Você pode colocar em qualquer ordem na verdade.

FOTO 2

2. Levar ao forno por uns 15 minutos ou até o pão ficar torrado por baixo.

FOTO (3)

Pronto!

Enquanto a pizza está no forno, ou dependendo da quantidade de meninas, enquanto umas fazem a pizza, as outras podem começar a sobremesa:

CESTINHOS DE CHOCOLATE CROCANTES – por Maísa Amarelo

Ingredientes:

-Uma barra de chocolate amargo em pedacinhos, apróx. 200g (vale comprar barrona de chocolate vegan também)

-Cereais, sementes e castanhas (usei linhaça, castanha do pará, castanha de caju, aveia e semente de girassol. Cada um escolhe o que gosta, e quem tiver preguiça ou não souber onde comprar os ingredientes separados, pode usar uma granola pronta também)

-Coisinhas bonitinhas pra encher os cetinhos: bala de goma, confete, marshmallow líquido ou daqueles de saquinho, mais castanhas e afins
-óleo pra untar

001_Ingredientes___
1. Antes de qualquer coisa, triture os cereais e afins no liquidificador. Dê umas saculejadinhas pra ajudar.

GIF002
2. Depois, derreta o chocolate em banho maria. Pra quem nunca fez, é simples: encontre uma tigela de vidro e uma panela com a boca menor que a tigela. Coloque um pouco de água no fundo da panela e depois a tigela em cima. A água não deve tocar o fundo da tigela, a ideia é o vapor subir e esquentar o vidro.

GIF003
3. Agora, misture os ingredientes triturados no chocolate derretido.

GIF004
4. Espere esfriar um pouco e coloque a mistura em forminhas untadas, vale também pequenos copos ou xícaras.

005_Forminhas___
5. Por fim, adicione os enfeites e afunde eles um pouco com os dedos pra dar o formato côncavo. E deixe no congelador pra endurecer.

006_Confeitoo___
E ainda vai ter um BRIGADEIRO DE COLHER COM CANELA – pela Nathalia Valladares, pra comer depois da janta e da sobremesa, fofocando e vendo filme:

Brigadeiro é sempre muito bom em confraternizações com as amigas, mas que tal uma reinvenção desse prato tão tipicamente brasileiro e maravilhoso? Certo dia estava em casa e, cá com meus botões, pensei: “E se eu colocar um pouco de canela?” E deu no que deu. Um dos meus tipos de brigadeiro favoritos atualmente.

Para começar, vamos precisar de:

– uma lata ou caixa de leite condensado,
– uma colher de sopa de manteiga ou margarina,
– 4 colheres de sopa de achocolatado ou chocolate em pó,
– 1 colher de sopa de canela em pó;

1

1. Comece derretendo a manteiga (ou margarina) numa panela. Eu particularmente prefiro manteiga, e sem sal, porque ela tem uma textura melhor que a margarina.

2

2. Depois de derretida, misture o leite condensado com a manteiga. Cuidado para não queimar a manteiga, só a derreta. A partir de agora, não pare de mexer o brigadeiro, para não empelotar.

3

3. Misture o chocolate ou achocolatado. (Uma outra opção é derreter barra de chocolate meio amargo. Fica muito gostoso e com uma textura mais cremosa ainda!)

4

4. Mexa até começar a ferver.

5

5. Quando ferver, jogue a canela e misture bem.

6

6. A mistura ficará mais densa e mais grossa. Quando você mexe, dá para ver o fundo da panela. Esse é o ponto do brigadeiro. Desligue o fogo e deixe esfriar um pouco.

7

7. Coloque em potinhos individuais ou num grandão e lambuze-se com as amigas (:

8

 

Maísa Amarelo
  • Colaboradora de Culinária & FVM
  • Ilustradora

21 anos, cursando o primeiro de design. Pras coisas que não gosta de fazer, inventa um monte de regras. Já as que gosta - como cozinhar - faz sem regra nenhuma. É muito ruim com palavras, ainda assim resolveu escrever sobre suas receitas que, em geral, não tem medida alguma.

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos