20 de novembro de 2015 | Culinária & FVM | Texto: | Ilustração:
Uma máquina de fazer barulinho bom

No começo do mês falamos sobre como a música produz diversos efeitos sobre nós. Mas não é só a música que nos afeta; qualquer barulhinho pode ter um efeito devastador. Giz inteiro e lousa: quem nunca esteve de um desses dois lado? Quem nunca tremeu de agonia com aquele ruído agudo que mais parece um grito emitido por um ser minúsculo em situação de dor excruciante? Ou fez a sádica às gargalhadas arranhando o giz e vendo a reação de colegas vulneráveis…

Já conheci cada caso de agonia estranha: gente que tem horror ao barulho de saco plástico mexendo, horror ao ruído que se faz ao escovar os dentes… aliás, essa era uma cena bem engraçada. Nos dias em que ficávamos na escola até mais tarde, eu almoçava com minhas amigas e depois íamos juntas ao banheiro pra fazer a higiene oral. Enquanto três de nós estávamos “de boas”, uma amiga ia fazendo círculos com a mão e nem dava meia volta… “rac rac rac”… ela já estava se contorcendo.

Mas também tem o caso contrário: dormir com o barulhinho da chuva, por exemplo. Ouvir o som do mar ou de uma cachoeira. E até alguns mais peculiares. Eu, por exemplo, AMO o som de papel grosso rasgando e o “tec tec tec” do teclado do computador!

E hoje é isso que iremos produzir: uma máquina de barulhinho bom!
Mentira, quase. Não é bem uma máquina, mas faz um barulinho beeeem delícia! É um sono dos ventos!

Materiais:

– Vidro
-Durepox
-Fio de nylon
-Cola Glitter/Relevo 3D ou Verniz vitral
-Fitas, contact ou tinta da sua preferencia (guache quase sempre vai)
-Cola branca
-Papel paraná/papelão/tampa de lata
-Prego e martelo
-Copo ou similar pra molde
-Muito Jornal/revista
-Luvas
001_Materiais

 

 

 

Pra começar, onde conseguir o vidro? Pra alguns projetos mais específicos é preciso encomendar certinho, mas pra esse tutorial só precisamos de caquinhos, então é só encontrar uma vidraçaria no seu bairro e perguntar pra quem estiver lá atendendo “Vocês guardam retalhos e sobras”? Muito provavelmente eles vão te dar de graça!

 

Provavelmente, os pedaços que você conseguir vão ser grandes quadrados ou retângulos, então é preciso quebrá-los em pequenos cacos irregulares!

 

COLOQUE AS LUVAS, embrulhe o pedaço de vidro em MUITO jornal. E quebre. Há duas opções: ou você bate com um martelo ou similar no vidro, ou você segura o embrulho pelas extremidades e vai batendo ele numa quina de parede. -Eu gosto mais dessa segunda.

002_QuebraVidro

 

 

 

Depois, AINDA DE LUVAS e com MUITO CUIDADO, selecione uns 6-9 pedaços de vidro de tamanho similar. Reembrulhe o resto em bastante jornal e jogue no lixo reciclável!

003_SelecionaPedaços

 

 

 

É preciso dar um jeito na borda dos vidros, pra que eles não fiquem cortantes! Para isso: Durepox! <3
Faça uma cobrinha e verifique se ela é grande o suficiente para toda a volta. 

004A_Durepox004B_DurepoxDepois dê uma amassadinha pra fixar bem.

 

 

 

Onde elas se encontrarem, deixe uma sobrinha de massa e faça um furinho pra depois passar o fio de nylon.

005_Penduricalho

 

 

 

Com um copo, compasso, prato ou o que for, faça círculos no seu tipo de papel (paraná, papelão, cartolina). Quanto mais fino, mais círculos serão necessários, pois a base precisa ser bem durinha! Corte os círculos e una com cola branca!

cópia de 006A_BaseA_02006B_Base

 

 

 

Depois vamos enfeitar a base. Eu tinha aqui em casa essa fita metalizada que achei que ficaria bonita, mas pintar com guache também pode funcionar bastante! 🙂

007_EnfeitaBase

 

 

 

Quando a base estiver seca (se você pintou), é preciso furar. Para isso: prego e martelo! (um furo para cada caquinho).008_Fura

 

 

 

 

Então voltamos aos caquinho. Agora podemos enfeitá-los com o relevo 3D. Também existe uma tinta, chamada verniz vitral, caso você prefira pintar os vidros inteiros, fazer outros tipos de desenho, um mosaico, ou uma mandala, então essa é a tinta mais recomendável.
009_Gif-Enfeitando_01

 

 

Quando estiver tudo seco, podemos finalmente prender os vidrinhos na base! Pra isso passamos um fio de Nylon grandão na argolinha do caco, prendemos e então a outra ponta nós passamos DUAS VEZES pelo mesmo furinho da base e damos vários nós!

011A_Nó
Grandão mesmo, porque tem que sobrar um tanto de fio depois do nó para a parte de pendurar.

011B_SobraFio

 

 

 

 

O primeiro caco colocamos numa altura qualquer que nos agrade, já os posteriores, precisamos ir conferindo pra ver se eles se encontram – senão quando o vento vem eles não batem uns nos outros e o barulhinho bom não rola.

010_MedeAltura

 

 

 

Quando todos estiverem presos, precisamos fazer o nó final. Pra isso é necessário testar e ajeitar o peso/o balanço, pra base ficar retinha.

012A_Ajeita012B_Ajeita

 

 

 

Depois de medir, damos um nó final!
-Eu queria prender o meu numa árvore, no quintal, então dei o nó e usei as sobras pra pendurar na árvore. Se você for colocar numa janela ou numa parede, algum lugar que precise usar prego, vale a pena usar uma daquelas argolinhas de chaveiro e cortar as rebarbinhas 😉

013_Nó Final

 

Então é só prender onde você achar mais legal (desde que seja um lugar onde bata vento) e esperar o barulhinho relaxante-delícia!!014_Pronto!!

Voilá!

As fotos deste tutorial são colaboração da fotógrafa Amanda Amaral. Quem gostou pode visitar o site dela. E eu termino com um “Obrigada, Amanda”!

 

Maísa Amarelo
  • Colaboradora de Culinária & FVM
  • Ilustradora

21 anos, cursando o primeiro de design. Pras coisas que não gosta de fazer, inventa um monte de regras. Já as que gosta - como cozinhar - faz sem regra nenhuma. É muito ruim com palavras, ainda assim resolveu escrever sobre suas receitas que, em geral, não tem medida alguma.

  • http://equantoapepsi.blogspot.com.br Juliana

    Amei :3

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos