4 de julho de 2016 | Ano 3, Edição #28 | Texto: | Ilustração: Clara Browne
Venha você também deixar a preguiça de lado e começar o seu projeto maneiro!

Toda gente do universo sabe que o tal Mundo das Ideias é sempre incrível. Nele, tudo pode acontecer das formas mais incríveis e mirabolantes e, nós, as pessoas que temos as tais geniais fagulhas, mal precisamos nos esforçar muito para saber que cara, essa é a ideia mais sensacional da galáxia! Aí, a gente se apaixona por essa fagulhinha de perfeição, fica se perguntando e se?, mas acaba que a vida vem numa onda maluca e faz com que a gente deixe as coisas do Mundo das Ideias no próprio Mundo das Ideias e acabe não trazendo nada pra vida real.

Platão ficaria orgulhoso de não transformarmos as tais ideias perfeitas que ele tanto amava em sombras assombrosas nada iluminadas. Mas, honestamente, Platão é um velho que morreu há umas boas centenas de anos e não vai ser ele quem vai nos ajudar com desculpas para não botarmos em prática as ideias sensacionais que temos. Assim, hoje venho por meio desta ajudar você a deixar de bobagem e finalmente colocar seu projeto maneiro em prática! YAY! \o/

Sabe, quando veio a ideia dessa pauta, tive certeza de que queria a escrever. Porque eu sei como é querer fazer projetos, mas não saber direito como lidar com isso. Eu já tentei escrever uma quantidade exorbitante de livros, já tentei criar blog, escrever músicas, fazer zine, correr todo dia, criar uma revista online, ler a Bíblia, ilustrar profissionalmente, aprender a dançar Charleston. Em todos os casos encontrei diferentes dificuldades, que vinham dos outros e de mim. Alguns projetos nem comecei, outros larguei no meio, outros deram supercerto e tenho o maior orgulho deles até hoje. Nesse meio tempo, eu aprendi muito sobre coisas que dão certo e coisas que não dão tão certo quanto esperávamos. Assim, passo pra vocês algumas das coisas que aprendi enquanto uma pessoa que tem ideias demais para tempo de menos.

Dica n°1: acredite que sua ideia é boa!

Sei que parece a coisa mais óbvia do mundo, mas estamos tão acostumadas a duvidarmos de nós mesmas que essa, na verdade, é a dica mais importante de todas. Você precisa acreditar na sua ideia para que ela vá pra frente.

É muito comum termos uma ideia que, num primeiro momento, pensamos “nossa, que genial!”, mas logo em seguida nos convencemos de que, na verdade, não é tão incrível assim e aí acabamos deixando pra lá, porque meio que tanto faz seguir com a ideia pra frente ou não. Mas não tanto faz. A sua ideia é incrível, maravilhosa e ela vai mudar o mundo. Ela é uma das coisas mais incríveis que já aconteceu na história mundial! E é exatamente porque você acredita nisso que você vai ter forças para continuar o seu projeto.

Acreditar na sua ideia é o que motiva a fazê-la realidade.

Para tornar real um projeto, sempre passamos por uma série de dificuldades – sejam grandes ou pequenas – e elas só não vão nos desanimar se tivermos certeza absoluta de que vale muito a pena construir esse projetão maravilhoso que você idealizou!

Dica n°2: converse com pessoas!

É claro que o mais importante é o que você acha do projeto, mas saber o que os outros pensam sobre sua ideia também não é ruim. Afinal, a maior parte dos projetos tem um público final e, portanto, você precisa ver se realmente existe gente que vai querer consumir aquilo que você quer criar. Pode ser livro, blog, quadro, escultura, álbum, aplicativo de celular, novo meio de locomoção. Todas essas coisas têm um público e, por isso, você tem que descobrir se essa ideia que você teve faz tanto sentido para os outros quanto faz para você.

É conversando com as pessoas que você entende o que da sua ideia é realmente incrível, o que pode melhorar, quais outras coisas você pode incrementar e o que pode deixar de lado. Conversar com as pessoas é um processo de autodescobrimento. Você vai pegando o jeito de explicar a sua ideia, descobre o que os outros querem, o que você quer, o que falta e o que você pode e quer oferecer.

Dica n°3: organize o que precisa ser organizado!

Então, você ama a sua ideia e viu que outras pessoas também a acham sensacional? Você teve mais milhões de ideias conversando com outros? Você tá superanimada e possivelmente confusa? ÓTIMO! Agora é a hora de sentar e colocar tudo o que tá no plano das ideias no papel.

O que é esse projeto exatamente? Qual o intuito dele? Como você pode explicar em poucas palavras sua ideia? Como você pode explicar em muitas palavras? O legal de responder essas questões no papel é que você também entende melhor o que exatamente você quer fazer, o que te parece viável, o que você pode oferecer de diferente com esse seu projeto. Escrever a ideia é também desenvolvê-la.

Depois disso, ainda tem outras coisas a organizar: quais materiais você vai precisar pra fazer ele dar certo? Você vai precisar de mais gente pra te ajudar? Você vai precisar de dinheiro? Quanto?

Quanto tempo você consegue abrir no seu cotidiano pra se dedicar a ele? Qual plataforma você vai usar pra fazer ele acontecer? Você vai divulgar como? Se é um projeto que envolve certa continuidade, como um blog, como você vai organizar isso? Tem mais de uma área que você vai abordar? Como você vai dividir isso?

Todas essas perguntas importam – sendo sempre adaptadas ao seu projeto específico. Por exemplo, se você vai escrever um livro, a divulgação não é importante, mas a organização do seu tempo é essencial para conseguir escrever com frequência! Agora, se você quer fazer um aplicativo de celular, você vai precisar de bastante divulgação, e também pessoas que façam testes antes de lançar a versão final. Independentemente de qual o seu projeto, você precisa sentar e se perguntar o que no fundo é a grande questão de todas: como raios eu vou fazer isso dar certo?

Dica n°4: vá atrás do que precisa!

Você viu tudo o que você vai precisar, tá com uma lista linda e organizada, o que fazer agora? ORAS BOLAS PIPOCAS CARAMELOS FRITOS! Agora é a hora de correr atrás do que precisa! Vale compras, doações, contatos, caçar latinha reciclada se for o caso.
Você precisa de recortes de roupas? Pegue todas as revistas de moda e páginas do Pinterest.

Você precisa de tinta a óleo? Vá até a loja de pintura e compre.

Você precisa de uma quantidade exorbitante de cabos de extensão? Peça emprestado dos seus amigos, procure uma lojinha que vende cabos.

Você precisa de um domínio de site? Faça sua pesquisa e compre seu domínio.

Você precisa de dinheiro pra tudo isso? Veja com seus pais se eles têm como te emprestar, tente fazer um trato em que você consiga pagar a ponto que ganhe um dinheiro também. Crie um financiamento coletivo na internet. Venda biscoitos ou pulseiras ou algo que você faz bem no colégio, corte o cabelo das suas amigas por um preço menor que dos cabelereiros delas, venda poesia na rua, toque violão na rua. Falar de dinheiro sempre assusta, mas isso não significa que você não consiga ganhar seu dinheiro e fazer seu projeto acontecer. O mundo tá cheio de gente que quer consumir seu projeto e topa pagar por ele. Use tudo aquilo que você escreveu no papel pra organizar o seu projeto e entender melhor o que ele é a seu favor! Se você sabe vender seu projeto como a coisa incrível que ele é, você vai ter um montão de gente te ajudando a fazê-lo acontecer.

Dica n°5: continue conversando com pessoas!

Muita gente acha que depois de bater um papo rápido com um pessoal já tá tudo certo e você pode fazer todas as coisas sozinha. Mas vou contar um segredo pra vocês hoje: os projetos que dão mais certo são aqueles em que as pessoas que os criaram sempre estiveram discutindo o tema com os outros. Isso não quer dizer que você precisa contar tudo o que tá fazendo pra todo mundo, mas é sempre bom ter algumas pessoas com quem você pode sempre conversar sobre o assunto. Pessoas que você confia, que você admira, cuja opinião importa. Pessoas que te apoiam e ao mesmo tempo sabem quando dizer “calma” ou “miga, menos”.

Mesmo em projetos totalmente pessoais, é bom ter aquelas pessoas com quem você pode compartilhar as coisas, que mesmo não estando envolvidas no projeto, estão juntas contigo no que quer que você faça. É sempre bom ter alguém pra opinar no quadro que você está pintando, pra pedir mais capítulos do livro que você está escrevendo, que te pergunta “e aí, como tá o projeto?”. Não é porque você está fazendo algo pessoal que precisa estar sozinha.

Dica n°6: não deixe coisas pequenas (ou grandes) atrapalharem seu caminho!

Não se deixe enganar: todo projeto tem suas pedras no meio do caminho. É tempo que falta pra sentar e fazer as coisas, é dinheiro que tem que tirar do além, é falta de motivação que às vezes bate, é erro de planejamento, é Mercúrio retrógrado, é uma outra prioridade que aparece urgentemente que você tem que se voltar a ela. Existem mil causas que fazem ideias deixarem de sair do mundo platônico, mas isso não significa em hipótese alguma que você deva ceder a elas.

Se você acredita na sua ideia, siga em frente, porque você vai vencer todos os desafios que se colocarem na sua frente. Uma coisa que aprendi numa aula de literatura é que a tal pedra no meio do caminho não é só uma pedra, ela fica na retina dos nossos olhos e se torna também uma lente pra forma que a gente vê o mundo. Todas as dificuldades por qual passamos, todas as pedras, nos transformam e nos fazem as pessoas que somos – e fazem nossos projetos ainda mais incríveis.
Você não está sozinha nessa. Mais gente acredita no que você acredita, mais gente está junto te apoiando. Então, se você tem uma ideia, faça-a virar realidade! O mundo precisa disso e só você pode fazê-lo acontecer.

Clara Browne
  • Cofundadora
  • Ex-editora Geral

Clara nasceu em 1994 no Rio de Janeiro, mas se mudou para São Paulo ainda pequena. Estuda Letras e sempre gostou mais de poesia do que de prosa. Ama arte moderna, suéteres e o musical Jesus Cristo Superstar. Aprendeu a fazer piadas com seu nome e sobrenome por sobrevivência. Em setembro de 2013, teve a ideia da Capitolina, a qual co-editou até setembro de 2016. Hoje em dia, ela escreve pra um montão de lugares. É 50% Corvinal e 50% Lufa-Lufa.

  • http://equantoapepsi.blogspot.com.br Juliana

    Esse post me inspirou imensamente, e num momento que eu precisava de algo para “me dar uma levantada”.

  • Rafaela

    Tudo que eu precisava neste momento… Obrigada mesmo! <3

Sobre

A Capitolina é uma revista online independente para garotas adolescentes. Nossa intenção é representar todas as jovens, especialmente as que se sentem excluídas pelos moldes tradicionais da adolescência, mostrando que elas têm espaço para crescerem da forma que são.

Arquivos